Tamanho do texto

SÃO PAULO - Após quatro meses consecutivos de queda, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) medido pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio) mostrou alta de 6,8% em fevereiro na comparação janeiro, tendo atingido 132,9 pontos. Em relação ao mesmo mês do ano passado, quando o índice estava em 147,3 pontos, houve baixa de 9,8%.

O ICC varia de zero a 200 pontos, indicando pessimismo abaixo de 100 pontos e otimismo acima desse patamar.

"A pesquisa nos mostra que, neste momento, os consumidores estão percebendo que a crise global não está atingindo o Brasil com a mesma intensidade que está alcançando outras economias. O cenário negativo do mundo ainda não contaminou os brasileiros, que estão confiantes na capacidade do país de superar esta crise", avalia Abram Szajman, presidente da Fecomercio.

A abertura do índice mostra que houve aumento da confiança tanto em relação ao cenário atual da economia, como na percepção sobre o futuro. O Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) teve alta de 8,7% sobre janeiro, para 128,8 pontos, enquanto o Índice das Expectativas do Consumidor (IEC) avançou 5,6% nesta comparação, para 139,2 pontos.

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) é apurado mensalmente pela Fecomercio desde 1994. Os dados são coletados junto a cerca de 2,1 mil consumidores no município de São Paulo.

(Valor Online)