A confiança do consumidor nos Estados Unidos entrou em colapso em fevereiro, uma vez que as famílias desenharam um quadro terrível da economia do país. O instituto Conference Board divulgou nesta terça-feira que a confiança do consumidor norte-americano caiu para a mínima histórica de 25 este mês, da mínima anterior de 37,7 em dezembro. Economistas esperavam por um declínio mais modesto em fevereiro, para 35,5.



"Não somente os consumidores estão sentindo que as condições da economia como um todo pioraram, como eles antecipam que não haverá melhora na situação nos próximos seis meses", disse Lynn Franco, que coordena o grupo privado de pesquisa Consumer Research Center. O índice da situação atual caiu em fevereiro para 21,2, de 29,9 em janeiro, enquanto a expectativa era de queda para 27,5.

A pesquisa sugere que as condições econômicas enfraqueceram de modo geral no 1º trimestre de 2009, disse Franco, enquanto as preocupações com o futuro dos negócios, emprego e ganhos "enfraqueceram mais a confiança e levaram as expectativas para os menores níveis de todos os tempos".

No levamento, os consumidores que avaliam que as condições para negócios são "ruins" subiram para 51,1% de 47,9% em janeiro, enquanto aqueles que viam a situação como "boa" chegaram a 6,8%, de 6,4% no mês passado.

As preocupações com contratações aumentaram, com aqueles que consideram que emprego está "difícil de conseguir" indo para 47,8% dos entrevistados, de 41,1% em janeiro. A pesquisa é feita com base de amostragem de 5 mil famílias. As respostas foram colhidas na quarta-feira da semana passada (dia 18). As informações são da Dow Jones.

Leia mais sobre: confiança do consumidor

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.