Tamanho do texto

Nova York, 10 jul (EFE) - A confiança dos executivos dos Estados Unidos na economia durante o segundo trimestre de 2008 subiu ligeiramente em relação aos três meses anteriores, embora tenha se mantido muito abaixo do nível que tinha um ano antes.

A entidade privada de análise econômica The Conference Board divulgou hoje os dados correspondentes ao segundo trimestre do ano de seu índice sobre a confiança dos executivos-chefes (CEO) das companhias americanas na economia.

Esses dados situam o índice de confiança em 39 pontos, um a mais que no trimestre anterior, quando foi registrado o nível mais baixo desde os primeiros três meses de 2000.

No entanto, o índice divulgado hoje está muito abaixo dos 50 pontos que estabelecem a fronteira entre a maioria de respostas otimistas e pessimistas, assim como dos 45 pontos registrados há um ano.

"Os CEO continuam qualificando a situação atual da economia como desfavorável e as previsões a curto prazo apontam que este ambiente de lento crescimento continuará durante o resto do ano", explicou o diretor de pesquisa de consumidores do The Conference Board, Says Lynn Franco, ao apresentar os dados.

Entre os diretores entrevistados, 7% defenderam que as condições econômicas gerais melhoraram recentemente (contra 3% do primeiro trimestre do ano) e 9% acredita que também o fizeram no setor no qual trabalham (contra 14% anteriormente).

Quanto às condições econômicas que os executivos-chefes acreditam que haverá em um prazo de seis meses, somente 24% acha que melhorarão, contra 20% três meses atrás.

Mesmo assim, 60% pensam que o lucro de suas empresas aumentará nos próximos 12 meses, contra 73% do primeiro trimestre. EFE mgl/rb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.