Esteio, RS, 03 - O Ministério da Agricultura decidiu hoje, em reunião com a cadeia produtiva de arroz, realizar dois leilões de oferta de estoques públicos em setembro. Cada um terá cerca de 50 mil toneladas de produto depositado no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

O primeiro leilão deve ocorrer no dia 16 ou 17 de setembro e o segundo, no final do mês. Com isso, o governo intensifica o ritmo de venda de arroz, que nos últimos meses tinha intervalo de 30 dias entre cada operação.

"É necessário ofertar mais produto para evitar que o preço mude de patamar", resumiu o diretor do departamento de comercialização e abastecimento do Ministério da Agricultura, José Maria dos Anjos. Há um terceiro leilão agendado para a metade de outubro, que também deve repetir o volume de 50 mil toneladas. Depois dos dois primeiros, o setor voltará a avaliar o comportamento do mercado com o governo, que poderá ajustar para mais ou menos a operação de outubro, se houver necessidade.

O objetivo do governo é manter o preço em torno de R$ 33,00 por saca de 50 quilos, para não dar um sinal negativo aos produtores nesta fase que antecede a decisão de plantio da próxima safra, explicou José Maria. A indústria propôs um volume mensal maior, de 200 mil toneladas, mas o governo optou por uma oferta intermediária em relação ao que defendiam os produtores, que era de 60 mil toneladas, comparou o presidente da Federação dos Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Renato Rocha.

A indústria gaúcha beneficia cerca de 500 mil toneladas por mês, lembrou o diretor de mercado da Federarroz, Marco Aurélio Tavares. Por isso, a venda de 100 mil toneladas deve manter o mercado firme e a oferta, equilibrada, avaliou Tavares. O estoque que será colocado nos leilões deve cumprir acerto feito em julho, com oferta de produto da safra 2004/05, que o governo quer zerar.

O plantio de arroz já começa em setembro no Rio Grande do Sul, lembrou Rocha. O custo de produção da próxima safra está entre R$ 28,95 e R$ 36,56 nas quatro localidades pesquisadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ante uma média de R$ 28,00 na safra passada.

A reunião de hoje foi realizada dentro da programação da 31ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer), em Esteio (RS), que começou no dia 30 de agosto e terminará no domingo. Os arrozeiros voltarão a se reunir com o governo no começo de outubro em Brasília, quando já deve entrar em discussão a comercialização da safra 2008/09.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.