Porto Alegre, 30 - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) adiou do dia 4 para 11 de novembro leilão de estoques públicos com 50 mil toneladas de arroz armazenadas no Rio Grande do Sul. A operação tinha sido divulgada ontem pela Conab e motivou pedido de suspensão temporária das vendas por parte de representantes do setor.

Dezoito entidades subscreveram documento enviado ao Ministério da Agricultura pedindo a suspensão da operação.

Na carta, argumentaram que o volume negociado ontem, quando também foi feito leilão de arroz, não esgotou a oferta - ficou em 94% -, o preço médio de R$ 30,22 caiu abaixo da meta de R$ 33,00 negociada com o setor, a falta de crédito está afetando a comercialização de arroz e a oferta "permanente e sistemática" de estoques tem gerado problemas de remoção do produto, entre outros pontos.

De acordo com a Conab, o adiamento foi necessário para que o órgão se dedicasse a organizar a doação de alimentos que o governo brasileiro fará a Cuba, Haiti, Honduras e Jamaica, atingidos por fenômenos climáticos. A doação inclui 45 mil toneladas de arroz.

O setor também defendeu, na correspondência, que a administração dos estoques públicos de arroz até a entrada da próxima safra, em março de 2009, requer "cautela e parcimônia", já que as previsões da Conab para o quadro de oferta e demanda apontam situação bastante ajustada.

O plantio de arroz está adiantado no Rio Grande do Sul, conforme levantamento do Instituto Rio-grandense do Arroz (Irga). O órgão divulgou hoje que o plantio chegou a 47% da área prevista (1,08 milhão de hectares), apesar das interrupções provocadas pelas constantes chuvas nas últimas semanas. Na mesma época do ano passado, o trabalho atingia 27% da área.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.