Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Conab: 3.500 bois apreendidos pelo Ibama vão a leilão no dia 14

Brasília, 07 - O primeiro leilão de boi pirata apreendido em áreas de conservação da Amazônia será realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) na próxima segunda-feira, dia 14. Os animais foram apreendidos por fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Polícia Federal em operação realizada no mês passado no município de Altamira, no Pará.

Agência Estado |

O preço de venda dos animais será divulgado até sexta-feira, informou a assessoria de imprensa da Conab.

No total serão oferecidos 3.500 bovinos no leilão da próxima semana, venda que foi acertada entre Conab, Ibama e Ministério do Desenvolvimento Social. O dinheiro arrecadado será destinado ao programa Fome Zero, informou a Conab.

Esta é a primeira vez que a estatal faz um leilão desse tipo. A responsabilidade pela fiscalização e pelo processo de entrega dos animais é do Ibama. A retirada deve ser feita pelo comprador. Pecuaristas ou frigoríficos de qualquer região do País podem participar do leilão. A única exceção é Lourival Medrado Novaes dos Santos, dono da Fazenda Lourilândia, onde os animais eram criados de forma irregular, segundo o governo.

A negociação será realizada de acordo com definições de um regulamento aprovado pelo Ministério da Agricultura, no início deste ano. O documento prevê a venda de mercadorias recebidas em doação e que são destinadas a ações sociais. Desde 2005, a área da Estação Ecológica da Terra do Meio, no Pará, foi declarada de conservação e há um ano a Justiça determinou a saída dos criadores de gado do local.

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, já se manifestou contrário a proposta de confisco de bois criados em áreas desmatadas ilegalmente. Ele defende a assinatura de um "termo de conduta" com a iniciativa privada. "Eu acho que os pactos funcionam melhor", afirmou recentemente. Na avaliação do ministro, o controle dos bois no pasto é muito difícil de controlar. "Teríamos que colocar um fiscal ao lado de cada boi", argumentou. A idéia de Stephanes é que os frigoríficos se comprometam a não comprar animais criados em áreas irregulares.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG