Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Compras se acentuam e Bovespa sobe 2,22%; Ganho na semana passa de 11%

SÃO PAULO - O pregão de sexta-feira foi bastante instável na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), refletindo a incerteza quanto ao plano de ajuda às montadoras norte-americanas. Mas as compras do final do pregão impulsionaram o índice de volta para cima dos 39 mil pontos.

Valor Online |

Depois de cair 3,9% no começo desta sexta-feira, o Ibovespa fechou na máxima do dia, aos 39.373 pontos, com alta de 2,22%. O giro financeiro ficou em R$ 3,54 bilhões.

Com o ganho de hoje, o índice fecha a semana com valorização de 11,39%, e passa a registrar variação positiva 7,59% no mês de dezembro. No acumulado de 2008, a queda ainda é de 38,37%.

O dia começou de forma bastante negativa com os investidores reagindo ao colapso do plano de resgate de US$ 14 bilhões às montadoras no Senado norte-americano.

De acordo com o economista-chefe da Corretora Gradual, Pedro Paulo Silveira, o humor melhorou depois que Tesouro dos EUA revolveu intervir, anunciando que vai garantir recursos para as empresas enquanto os congressistas trabalham em um plano de longo prazo para o setor.

"O Tesouro abraçou a causa das montadoras, o que trouxe uma perspectiva melhor para o mercado", resume o especialista.

A garantia de dinheiro também levou os investidores para a ponta compradora em Wall Street. Depois oscilar entre ganhos e perdas, por volta das 18 horas - fechamento dos negócios por aqui, o Dow Jones apontava ganho de 0,89%. Já a bolsa eletrônica Nasdaq subia 1,72%.

Silveira lembra que dias como o de hoje, com o índice oscilando mais de 2.300 pontos entre máxima e mínima, evidenciam que volatilidade segue bastante elevada e o mercado sem tendência. Mesmo assim, o economista aponta que o humor melhorou um pouco nas últimas semanas. "O mercado encontrou um piso e temos um fluxo maior de recursos para a bolsa, mas até quando isso dura, não se sabe."
Somando instabilidade ao pregão, na segunda-feira acontece o vencimento de opções sobre ações. Vale lembrar que a próxima semana também concentra o exercício de opções sobre o Ibovespa futuro.

Dentro do Ibovespa, destaque mais uma vez para as ações PN da Petrobras, que subiram 1,20%, para R$ 22,60. O papel ganhou sustentação de alta acompanhando o preço do petróleo que recuperou as perdas acentuadas do período da manhã.

O ativo PNA da Vale, o segundo mais negociado, também contribuiu para os ganhos do dia, avançando 1,13%, para R$ 25,05. Forte recuperação para os papéis dos bancos. Bradesco PN subiu 3,89%, fechando a R$ 25,35, e Itaú PN ganhou 4,05%, para R$ 30,00.

Ainda dentro na ponta compradora, Cesp PNB registrou alta de 9,09%, para R$ 14,40. As varejistas tiveram mais um pregão de alta, refletindo, na avaliação de alguns analistas, a expectativa de juros menores no país. O ativo ON da B2W Varejo teve alta de 6,81%, R$ 28,20, e Lojas Americanas ON subiu 6,90%, para R$ 7,12.

Bom desempenho também para Embraer ON, TIM Part PN, TAM PN e Cosan ON, que subiram mais de 7% cada.

Em baixa desde o começo do pregão, o ativo ON da JBS, controladora do frigorífico Friboi, cedeu 5,40%, para R$ 5,25. O Japão parou de importar carne de uma das unidades da empresa nos Estados Unidos depois de encontrar produtos fora da especificação em uma das encomendas. Queda acentuada também para a unit da América Latina Logística, que fechou valendo 6,50% menos, a R$ 9,35.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG