Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Compras perdem força, mas Bovespa segue em alta

SÃO PAULO - O ímpeto comprador perdeu força, mas a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue oscilando em território positivo. Por volta das 12h50, o Ibovespa aumentava 0,47%, para 36.

Valor Online |

681 pontos, com giro financeiro em R$ 1,03 bilhão.

Em Wall Street, a tentativa de recuperação não resistiu a uma hora de pregão e os índices lutam para permanecer em alta. Há pouco, o Dow Jones operava estável, enquanto o Nasdaq perdia 0,11%.

Segundo o economista da WIN, home broker da Corretora Alpes, José Goés, a bolsa ensaia uma retomada técnica depois de perder mais de 5% nos últimos dois dias, mas não há nada no cenário que justifique uma valorização sustentada.

Goés acredita que o mercado brasileiro deve ter um desempenho melhor se comparado a seus pares, mas, para que isso aconteça, é preciso um empurrão do cenário externo. " A bolsa tem mostrado uma firmeza incrível, mas, para ter um repique mais forte, vai precisar de uma melhora de ambiente externo. "
O principal entrave a esse descolamento, segundo o economista, continua sendo o setor financeiro americano. " A cada trimestre os bancos apontam novos prejuízos em função de ativos podres e ainda apareceu uma solução para isso. "
Goés observa que, assim que esses problemas derem uma trégua e a economia mundial apresentar o primeiro sinal de recuperação, a Bovespa larga na frente, com uma consistente retomada nas compras.

No âmbito corporativo, os balanços trimestrais concentram as atenções. O Banco do Brasil (BB) fechou o 2008 com lucro líquido de R$ 8,803 bilhões, montante 74% maior que o registrado em 2007. Só no quarto trimestre, o banco estatal embolsou R$ 2,94 bilhões, mais que o dobro do registrado em igual período do ano anterior.

Goés comenta que, mesmo que parte do lucro seja referente a fatores extraordinários, o resultado foi bastante forte e isso se reflete no papel ON do BB, que apontava alta de 3,40%, para R$ 13,97.

Entre as siderúrgicas, Usiminas PNA tinha acréscimo de 1,07%, para R$ 28,10. A empresa teve lucro de R$ 837 milhões entre outubro de dezembro do ano passado, queda de 14% no comparativo anual. Mas a companhia anunciou também o pagamento de R$ 233 milhões sob a forma de dividendos complementares, o que representa R$ 0,45159 por ação ON e R$ 0,49675 por papel PN. Terá direito ao recebimento acionistas com posição em 5 de março. A partir de 6 de março de 2009, as ações serão negociadas sem direito ao dividendo.

Segurando o índice em território positivo, Petrobras PN ganhava 1,08%, para R$ 26,17, e Vale PNA aumentava 0,87%, a R$ 29,87.

Fora do índice, o papel ON da Abyara operava estável a R$ 2,02, depois de cair mais de 20% pela manhã. A Agra Incorporadora, empresa ligada a Cyrela, e o investidor espanhol Enrique Bañuelos de Castro fecharam a compra do controle da Abyara Planejamento Imobiliário. Os dois investidores pagarão R$ 37,9 milhões por 62,13% do capital da companhia, o que representa R$ 1,2 por ação ordinária.

Ainda no setor, mas dentro do Ibovespa, Cyrela ON declinava 4,77%, para R$ 8,58, e Gafisa ON recuava 2,54%, saindo a R$ 11,89.

Entre as varejistas, Lojas Renner ON perdia 4,19%, para R$ 13,03. Os resultados do trimestre não agradaram, mesmo com o lucro líquido ajustado ficando estável no comparativo anual em R$ 57 milhões.

O dólar segue operando em baixa ante o real. Há pouco, a moeda era negociada a R$ 2,337 na venda, queda de 0,63%, depois de cair a R$ 2,318.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG