Paris, 10 ago (EFE).- A companhia Electricité de France (EdF) concretizou os acordos finais que a transformará, como associada do China Guangdong Nuclear Power Group (CGNPG), em operadora de duas novas centrais nucleares que devem ser construídas na China, informou hoje a empresa francesa.

"A participação da EdF no seio da TNCP (Taishan Nuclear Power Joint Venture Company Limited) se eleva para 30% em 50 anos, duração máxima autorizada para um projeto de empresa mista na China", afirmou a empresa francesa em comunicado .

As duas usinas nucleares estarão localizadas em Taishan, na província sulina de Cantão, e transformará a companhia elétrica em operadora nuclear na China, onde já tinha participado - mas apenas na construção - dos complexos atômicos de Daya Bay (em serviço desde 1994) e de Ling'ao (desde 2002).

As centrais contarão com dois reatores atômicos de terceira geração EPR, que entrarão em operação em 2013 e 2015.

Os trabalhos preliminares começaram no final de 2007, enquanto a construção física terá início no outono de 2009. Durante as obras, mais de 60 especialistas da EdF estarão presentes no terreno, afirmou a companhia.

Paralelamente à criação da empresa mista, os grupos fecharam um acordo de assistência técnica, segundo o qual a EdF porá à disposição da empresa mista seu conhecimento prático e recursos humanos.

Por sua vez, o CGNPG contribuirá com sua experiência como proprietário e operador, adquirida nas centrais de Daya Bay e de Ling'ao, e com seu conhecimento do setor elétrico nuclear e do tecido industrial chinês.

Segundo a Edf, os contratos para a provisão dos equipamentos nucleares e das turbinas já foram assinados com a Areva e a Alstom, respectivamente.

O acordo marco entre o primeiro operador nuclear chinês, o CGNPC e a EdF foi feito em novembro de 2007, durante uma visita do presidente francês, Nicolas Sarkozy, e em presença do presidente chinês, Hu Jintao. EFE jaf/ab/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.