Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Commodities têm sinais de valorização

As commodities recuperaram-se ontem de parte da queda acumulada na semana passada. A notícia de que União Europeia e Fundo Monetário Internacional (FMI) criarão um fundo de até ¿ 750 bilhões para socorrer os países endividados do bloco afastou, por ora, o pânico que tomou conta dos mercados na semana passada.

AE |

As commodities recuperaram-se ontem de parte da queda acumulada na semana passada. A notícia de que União Europeia e Fundo Monetário Internacional (FMI) criarão um fundo de até ¿ 750 bilhões para socorrer os países endividados do bloco afastou, por ora, o pânico que tomou conta dos mercados na semana passada. Com isso, especuladores saíram do mercado de bônus da dívida americana e investiram em ativos de risco, o que derrubou o dólar e inflou os preços de ações e matérias-primas. O índice Reuters-Jefferies CRB, principal referência para os preços das commodities, subiu 1,58%. Em Nova York, o petróleo subiu 2,25% e o cobre, 2,51%. Entre os produtos agrícolas, o destaque foi o açúcar. Depois de cair 9,2% e ter a menor cotação em 16 meses na semana passada, a commodity subiu 3,13% ontem. A notícia de que o Paquistão comprou 200 mil toneladas de açúcar no fim de semana animou os traders. Os mercados de grãos, por sua vez, apresentaram um desempenho mais tímido. Em Chicago, a soja subiu 0,1%, para US$ 9,61 por bushel. O milho cedeu 0,4%, para US$ 3,7050 por bushel, e o trigo desabou 3,48%, cotado a US$ 4,9275 por bushel. Segundo analistas, os especuladores que atuam nesses mercados optaram pela cautela antes da divulgação, prevista para ocorrer hoje, dos dados mensais de oferta e de demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG