Graças à alta nos preços das commodities, o Brasil registrou no segundo trimestre de 2010 a quarta maior expansão de exportações no mundo em comparação ao início do ano e sobe no ranking dos exportadores

selo

Graças à alta nos preços das commodities, o Brasil registrou no segundo trimestre de 2010 a quarta maior expansão de exportações no mundo em comparação ao início do ano e sobe no ranking dos exportadores. Nos últimos anos, a OMC tem alertado que a alta nos valores de produtos alimentícios e minérios tem mascarado um crescimento relativamente modesto nas vendas nacionais. Ainda assim, a taxa de expansão foi bem inferior ao crescimento das importações, com um impacto direto na balança comercial. Entre abril e junho, a expansão das vendas nacionais ao exterior foi de 27,3%, somando US$ 50 bilhões. As perdas geradas pela crise foram quase todas superadas. Antes de setembro de 2008, o Brasil havia exportado US$ 20,4 bilhões em julho daquele ano. Em apenas seis meses, o volume caiu para US$ 9,7 bilhões. Hoje, voltou para US$ 19,4 bilhões. A expansão permitiu que o Brasil saltasse três posições no ranking mundial. Só as vendas dos dois parceiros no Mercosul - Uruguai (50%), Argentina (44,7%) - e a Austrália (27,5%) foram superiores às do Brasil. A média mundial foi de uma expansão de 25%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.