Para a maioria dos analistas, autoridade monetária deve encerrar o ciclo de alta e manter a taxa Selic em 10,75% ao ano

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central define hoje, após o fechamento do mercado financeiro, o rumo da taxa básica de juros (Selic). Para a maioria dos analistas de mercado a autoridade monetária deve manter a taxa em 10,75% ao ano e encerrar o ciclo de alta, já sinalizado na ata do último encontro.

Segundo a última pesquisa Focus, divulgada pelo Banco Central na segunda-feira, o mercado financeiro reduziu a previsão para a inflação. A expectativa para a alta de preços acumulada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no ano caiu de 5,10% para 5,07%, ainda em um patamar acima do centro da meta de inflação para 2010, que é de 4,50%. Na mesma pesquisa, a estimativa para o IPCA em 2011 subiu de 4,86% para 4,87%.

Para Tatiana Pinheiro, economista do banco Santander, o ciclo de elevação dos juros chegou ao fim. “Na última reunião do Copom, o Banco Central diminui o tamanho do aperto e houve uma avaliação mais benigna do cenário de inflação”, diz.

O movimento dos juros

Confira a variação da taxa básica de juros (Selic) nos últimos encontros do Copom

Gerando gráfico...
Fonte: Banco Central

No entanto, dados divulgados na semana passada mostram que o contínuo aquecimento do mercado de trabalho e o aumento da renda média da população ainda podem pressionar os índices de inflação e fazer com que a autoridade monetária mantenha o ritmo de elevação dos juros.

Há grupo de analistas que acredita que o fim do ciclo de alta dos juros poderia comprometer o desempenho da economia em 2011. Para o economista-chefe da Austin Ratings, Alex Agostini, a defesa da manutenção dos juros está na boca de quem “olha pelo retrovisor da economia”. “A política monetária tem que olhar para frente e não para o que acontece agora”, diz.

André Perfeito, economista da Gradual Investimentos, avalia que os recentes dados de renda e emprego acendem o sinal de alerta no Banco Central. “Acreditamos que o Copom fará mais uma alta de 0,5 ponto na Selic, fazendo esta sair de 10,75% para 11,25%”, afirmou o economista em relatório.

Nos últimos três encontros, o Copom elevou a Selic de 8,75% para 10,75% ao ano. Após a última reunião, em julho, havia praticamente um consenso no mercado de que a alta de 0,5 ponto colocava um fim ao movimento de elevação dos juros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.