GENEBRA - O comissário europeu de Comércio, Peter Mandelson, lamentou hoje o doloroso fracasso das negociações da Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC) para liberar o comercial mundial, por culpa das mesquinharias dos países mais inflexíveis nesta discussão.

Mandelson declarou à imprensa que o fiasco da reunião, que chegou hoje a seu nono dia, a fim de resgatar a Rodada de Doha para a abertura de mercados agrícolas e industriais é "ruim para a economia global, em um momento no qual precisava-se de boas notícias".

"Estávamos muito perto do acordo; se trata de um fracasso coletivo", ressaltou.

O chefe negociador da UE criticou a falta de vontade política e a posição de "alguns" que por "uma pequena medida (em referência às divergências pelas salvaguardas contra as importações agrícolas), tenha provocado este desastre.

Na negociação, as nações mais duras foram Índia, China e Estados Unidos.

A Índia e a China defenderam as salvaguardas e alegaram a necessidade de proteger as plantações de arroz, algodão e açúcar, além de pedir aos Estados Unidos que reduzissem os subsídios agrícolas.

Washington se negou a diminuir as muitas ajudas concedidas aos agricultores americanos.

"A negociação foi longa e complexa", destacou Mandelson, e insistiu no fracasso perante as reações "desproporcionais" por uma questão pequena, em meio a uma discussão tão ampla.

A falta de acordo, acrescentou, prejudicará os países "mais vulneráveis", segundo Mandelson, aqueles que precisavam "das oportunidades para que a Rodada Doha (iniciada há sete anos a fim de aprofundar na liberalização comercial mundial) fosse um sucesso".

As principais potências comerciais (Austrália, Brasil, China, Estados Unidos, Índia, Japão e a União Européia) não chegaram a um acordo sobre como e quanto abrir seus mercados agrícolas e industriais, enquanto as nações ricas deveriam cortar seus subsídios e definir que tipo de proteção devia se permitir aos países pobres.

Leia também:

  • Futuro da Rodada Doha é incerto, dizem especialistas
  • Diretor-geral da OMC confirma que negociações da Rodada de Doha fracassaram
  • Resultado em Doha seria outro se jogadores fossem diferentes, diz Amorim
  • Cronologia: principais datas que marcaram a Rodada de Doha da OMC
  • Veja a reação no Brasil após o fracasso das negociações da OMC
  • Brasil troca apoio por etanol
  • Interesse nacional motivou decisão na OMC, diz Amorim
  • Disputa não afeta Brasil no longo prazo, dizem analistas 
  • Posição do Brasil na OMC é vista como 'traição', diz jornal
  • Acordo na OMC 'não quebra solidariedade', diz Lula

    Leia mais sobre Rodada Doha

    • Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.