Bruxelas, 9 mai (EFE).- A Comissão Europeia propôs aos Governos um mecanismo de assistência financeira para os países com dificuldades de pagar suas dívidas públicas que contaria não só com garantias da União Europeia (UE), mas também com a dos Estados.

Bruxelas, 9 mai (EFE).- A Comissão Europeia propôs aos Governos um mecanismo de assistência financeira para os países com dificuldades de pagar suas dívidas públicas que contaria não só com garantias da União Europeia (UE), mas também com a dos Estados. A proposta, que permitiria à comissão obter volumosos recursos do mercado para fazer frente a crise orçamentárias maiores que a grega, está sendo analisada pelos ministros de Finanças da UE, em reunião extraordinária realizada hoje em Bruxelas. O objetivo é chegar a um acordo sobre este mecanismo antes da abertura dos mercados asiáticos, com a esperança de que contribua rapidamente para a estabilização do sistema financeiro europeu e internacional. Tanto o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, quanto o comissário de assuntos econômicos e monetários, Olli Rehn, insistiram hoje na importância de manter "a máxima ambição, porque a situação requer isso", segundo fontes comunitárias. Respondendo à incumbência recebida na sexta-feira dos líderes dos países da zona do euro, a Comissão Europeia apresentou hoje uma proposta de "mecanismo europeu de estabilização" que ajude os países que, como a Grécia, não possam fazer frente ao refinanciamento normal de sua dívida. EFE jms/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.