Tamanho do texto

Empresa diz que vai colaborar com investigações, mas afirma que acusações não têm fundamento

selo

A Comissão Europeia abriu hoje um inquérito antitruste contra a IBM por causa da suspeita de que a companhia teria abusado da sua posição dominante no mercado de computadores de grande porte (mainframes). O inquérito está dividido em duas investigações separadas, uma analisando uma denúncia da T3 e da Turbo Hercules, pequenas produtoras de software, que acusam a IBM de atrelar ilegalmente o hardware de seus grandes computadores a seu próprio sistema operacional.

A segunda investigação é sobre um suposto tratamento desigual com fornecedores concorrentes de serviços de manutenção para computadores mainframe e foi instaurada por iniciativa da própria comissão. A IBM disse que vai colaborar totalmente com as investigações, mas afirmou que as acusações da T3 e da Turbo Hercules não têm fundamento e são influenciadas por alguns dos maiores competidores da empresa, principalmente a Microsoft.

"Não existe mérito nas acusações que estão sendo feitas pela Microsoft e seus parceiros", disse a IBM em comunicado. A Microsoft é parceira da T3, mas já disse anteriormente que não participa da queixa da T3, apesar de ter investido na empresa. Contudo, a Microsoft partilha da crença da T3 de que "é preciso ter uma maior franqueza e poder de escolha para os clientes do mercado de computadores mainframe".

A T3 e a Turbo Hercules esperam que o inquérito leve a IBM a ser forçada a abrir seu modelo de licenciamento para permitir que os clientes escolham que tipo de hardware eles querem usar com o sistema operacional da IBM. Em 2009, aproximadamente 8,5 bilhões de euros foram gastos no mundo e 3 bilhões de euros na Europa em computadores mainframe e respectivos sistemas operacionais, de acordo com a Comissão Europeia. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.