O comércio varejista brasileiro pode absorver menos mão-de-obra temporária neste início de 2009, por causa da crise mundial. A avaliação é do presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Júnior.

Segundo ele, neste período, os estabelecimentos dispensam em média 90% dos trabalhadores temporários contratados, mas neste ano, o aproveitamento deve ser inferior a 10%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.