Tamanho do texto

Cuiabá, 5 - A comercialização da safra de soja em Mato Grosso atingiu 11,890 milhões de toneladas até o fim de março. O volume corresponde a 63% da produção estimada em 18,874 milhões de toneladas pelo Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Cuiabá, 5 - A comercialização da safra de soja em Mato Grosso atingiu 11,890 milhões de toneladas até o fim de março. O volume corresponde a 63% da produção estimada em 18,874 milhões de toneladas pelo Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária (Imea). A comercialização está mais avançada do que na safra 2008/09, pois até março do ano passado, 57,4% da produção havia sido vendida. No médio norte, que responde por 40% da produção de soja de Mato Grosso, a comercialização já alcançou 67,4% da produção esperada. O boletim semanal do Imea relata que a semana passada foi de poucos negócios na região, com indicações de preços a R$ 25,60 por saca em Nova Mutum; R$ 25,30 em Lucas do Rio Verde; R$ 24,50 em Sorriso; e 23,50 em Sinop. No sudeste de Mato Grosso, segundo maior polo, com 23,5% da produção estadual de soja, a comercialização da safra chegou a 57,1% até março. Os poucos negócios reportados no sudeste na semana passada saíram em Rondonópolis a R$ 28,00 por saca; em Campo Verde a 26,90; e em Primavera do Leste a R$ 26,90. No boletim semanal, os técnicos afirmaram que a média estadual de produtividade, de 3.041 quilos por hectare (50,7 sacas), ficou abaixo dos 3.052 quilos (50,9 sacas) registrada na safra passada. Segundo os técnicos, as regiões oeste e centro-sul foram as que registraram as menores produtividades médias, "pois foram as mais afetadas pelas chuvas em grandes volumes e em curto espaço de tempo, impossibilitando a colheita e aumentando a incidência de doenças." Eles citaram como exemplo o município de Sapezal, na região oeste, onde a produtividade média foi de 47 sacas por hectare, ante as 52 sacas colhidas na safra passada. Apesar das intempéries climáticas, a região do médio norte conseguiu manter o bom resultado do ano anterior, com destaque para os municípios de Sorriso, onde a produtividade foi de 54 sacas por hectare e Nova Ubiratã, com 53 sacas. "Assim, associada ao aumento de área, a produção no Estado alcançou 18,8 milhões de toneladas ante 17,4 milhões de toneladas da safra passada". Mesmo com a queda da produtividade média, a estimativa de produção do Imea de março ficou acima da prevista em fevereiro, que era de 18,375 milhões de toneladas. O aumento se deve à correção na área cultivada, que aumentou em 83,7 mil hectares, para 6,202 milhões de hectares. Na reta final dos trabalhos de campo, com 98,7% da soja já colhida até a última quinta-feira, ainda restam lavouras para ser colhidas principalmente na região nordeste de Mato Grosso, em especial Canarana, Querência e Água Boa. O Imea relatou que há também trabalhos pontuais nas regiões do médio norte e oeste, por causa das chuvas que caíram durante toda a semana passada. "As médias de produtividade do que está sendo colhido no momento estão variando entre 42 sacas e 52 sacas por hectare, dependendo da região, sendo reportados casos pontuais de valores ainda menores", disseram os técnicos no boletim.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.