Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Com rejeição de plano de US$ 700 bi, empresas perdem mais de US$ 1 tri

SÃO PAULO - A rejeição dos deputados norte-americanos ao pacote de US$ 700 bilhões para salvar o sistema financeiro norte-americano provocou a queda de US$ 1,2 trilhão no valor de mercado das empresas listadas nas bolsas norte-americanas em apenas um dia, de acordo com o índice Dow Jones Wilshire 5000, o indicador mais abrangente das bolsas dos EUA. Os deputados norte-americanos, especialmente os republicanos, relutaram em apoiar um plano econômico envolvendo dinheiro público para resgatar bancos que exageraram na tomada de risco.

Valor Online |

O programa desenhado pelo governo americano foi recusado por 228 votos contrários e 205 favoráveis. Entre os democratas, 140 votaram a favor e 95 contra. No partido Republicano, que é o mesmo do presidente George W. Bush, o apoio foi menor, com 65 votos a favor e 133 contrários.

O problema é que a rejeição do pacote pode acabar causando um prejuízo ainda maior não apenas para a economia dos EUA, mas para o mundo como um todo.

O índice Dow Jones Industrial caiu 7%, aos 10.365,45 pontos. Foi uma perda de 777,68 pontos, a maior em um só dia já vista na história do indicador. O Nasdaq cedeu 9,1%, ficando em 1.983,73 pontos. O S & P 500 fechou em queda de 8,8%, em 1.106,58 pontos.

O índice MSCI de 23 bolsas de países desenvolvidos, calculado pelo Morgan Stanley, recuou 7% - a pior baixa dos 38 anos de cálculo. Índices acionários de mercados emergentes despencaram, com destaque para as bolsas da Irlanda (-13%) e do Brasil (-9,4%).

Os preços do petróleo caíram mais de US$ 10 por barril. Os contratos para o mês de novembro fecharam a US$ 96,37 em Nova York e US$ 93,98 em Londres.

Nas bolsas da Europa, que fecharam antes da rejeição formal do pacote, o cenário não foi diferente, especialmente após as notícias do final de semana, com a necessidade de aporte de dinheiro público no banco belga Fortis e no britânico Bradford & Bingley.

Em Londres, o FTSE-100 caiu 5,30%, aos 4.818,77 pontos. O CAC-40, de Paris, diminuiu 5,04%, ficando em 3.953,48 pontos. Em Frankfurt, o DAX somou 5.807,08 pontos, com declínio de 4,23%.

A grande procura por ativos mais seguros fez o preço dos títulos do Tesouro americano (os treasuries) ter a maior alta em duas semanas. Isso diminui o retorno final (yield) ao dono do papel. O yield dos Treasuries de dez anos, por exemplo, caiu 0,27 ponto percentual, para 3,58%.

Passado o susto com a rejeição do pacote após um acordo entre os líderes dos partidos, a expectativa do mercado agora é de que as negociações entre a Casa Branca e o Congresso norte-americano continuem.

Após a derrubada do plano, o presidente Bush se reuniu com o secretário do Tesouro, Henry Paulson, e com o presidente do Federal Reserve (Fed), Ben Bernanke, para definir os próximos passos.

Em uma rápida declaração à imprensa após o encontro, Paulson disse que vai continuar o esforço para chegar a um bom termo nas negociações com os congressistas e que irá usar "todas as ferramentas" que tem para proteger os mercados e a economia. Segundo ele, existe "muito trabalho" a ser feito e este é um assunto "importante demais" para que se permita um fracasso.

Ele ressaltou que continuará as conversas com os líderes no Congresso de agora em diante, já que avalia que possui "ferramentas importantes (para combater a crise), mas não suficientes".

(Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: crise nos eua

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG