O mercado de carros importados, muitos deles de luxo, também está se aproveitando da significativa valorização do real ante o dólar e o euro e registrou em setembro seu melhor mês em vendas no ano. O bom momento do País, que projeta crescimento das vendas como um todo de veículos, aliado à questão cambial, também está atraindo novas marcas ao mercado brasileiro.

Na próxima semana será inaugurada em São Paulo a primeira loja oficial da Lamborghini, um dos ícones mundiais de modelos luxuosos.

O presidente da Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva), Henning Dornbusch, prevê para este ano vendas de 40 mil veículos importados pelos associados da entidade, o melhor resultado desde 2000. Segundo ele, a desvalorização do real ainda não provocou queda de preços, mas funciona como importante fator psicológico na hora da compra. "O consumidor avalia que seu carro não será desvalorizado no futuro e se sente mais confiante", analisa.

Segundo a Abeiva, em setembro, as vendas de modelos importados por empresas que não têm fábricas no País subiram 21,4% em relação a agosto e 10,4% ante o mesmo mês do ano passado, somando 3.899 unidades. Maior disponibilidade de crédito para financiamento também contribuiu para o desempenho, assim como a antecipação de compras por causa do fim da redução integral do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI).

No acumulado do ano, foram licenciados 23.240 veículos, 1,38% mais que em igual período do ano passado. Os dados consideram as vendas de 11 marcas de importados que atuam no País nos últimos 12 meses. Se forem contabilizadas mais quatro marcas que se associaram à Abeiva nos últimos meses, as vendas saltam para 27,7 mil unidades, 20% mais que há um ano.

As filiadas à Abeiva são BMW, Chana, Chrysler, Dodge, Effa, Hafei, Jeep, Kia, Pagani, Porsche e Ssangyong. Recentemente, ingressaram a Jaguar, Jinbei, Land Rover e Suzuki. Juntas, respondem por 9,8% das importações de veículos no País e por quase 2% das vendas nacionais de carros.

As importações feitas pelas montadoras com fábricas no País também crescem à medida que o real se valoriza. Só no mês passado foram vendidos 46,1 mil modelos trazidos de fora, 23% a mais em relação a agosto e 23,6% superior ao volume de igual mês de 2008.

No ano, já foram importados pelas montadoras 336,2 mil automóveis, uma alta de 18,8% ante o ano passado. O volume equivale a 14,6% de tudo o que foi vendido no País neste ano. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a maior parte desses modelos vem de países com os quais o Brasil tem acordo comercial.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.