LONDRES (Reuters) - Os mercados acionários europeus fecharam em queda acentuada nesta segunda-feira, pressionados por fortes baixas em ações dos setores de energia e bancário. Os negócios ainda foram influenciados por preocupações com a economia dos Estados Unidos. O índice FTSEurofirst 300, que acompanha as principais ações do continente, recuou 2,57 por cento por cento, para 776 pontos, com bancos e petrolíferas contribuindo com as maiores perdas do indicador.

Os consumidores norte-americanos cortaram gastos em dezembro pelo sexto mês consecutivo e apresentaram uma redução de renda, segundo relatório do governo divulgado nesta segunda-feira, ressaltando a rápida deterioração da economia.

E apesar do instituto de administração de fornecimento (ISM, na sigla em inglês) ter divulgado que seu índice nacional de manufaturas subiu para 35,6 em janeiro --ante o menor patamar em cerca de três décadas em dezembro, de 32,9--, analistas disseram que a tendência, de modo geral, é decididamente pessimista.

"Nós devemos ter algumas estatísticas econômicas que vão mostrar uma leve melhora, mas a tendência é de piora. Nós esperamos que a economia dos Estados Unidos contraia entre 5 e 6 por cento no primeiro trimestre e isso não é uma boa notícia", disse Thierry Lacraz, estrategista da Pictet em Genebra.

"Nós continuamos relativamente cautelosos com as ações e não sobrevalorizamos o mercado, apesar das altas que são interessantes", acrescentou.

Os bancos continuavam a representar o pior setor nos mercados europeus, com o índice DJ Stoxx de bancos, que mergulhou 65 por cento no ano passado, recuando 5,5 por cento nesta sessão.

Barclays registrou a maior queda, de 10,56 por cento, após a redução de sua classificação pela Moody's. BNP Paribas recuou 8,71 por cento.

HSBC e Santander, bancos que também pesaram no índice, caíram 2,99 por cento e 4,52 por cento, respectivamente.

As ações de petrolíferas também cederam, seguindo a queda de 60 por cento dos preços de petróleo para pouco acima de 41 dólares o barril. Total, Shell e BP caíram entre 0,4 por cento e 1,9 por cento.

O volume de negócios nos mercados europeus foi comprometido pela neve em Londres. Dados iniciais mostraram que o volume negociado no FTSEurofirst 300 foi equivalente a 62 por cento da média total diária em um período de 90 dias.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em queda de 1,73 por cento, a 4.077 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX recuou 1,55 por cento, para 4.271 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 cedeu 1,48 por cento, para 2.930 pontos.

Em MILÃO, o índice Mibtel encerrou em baixa de 2,17 por cento, a 13.940 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou desvalorização de 2,57 por cento, para 8.233 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve recuo de 1,56 por cento, para 6.337 pontos.

(Reportagem de Sitaraman Shankar)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.