Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Com mercado de olho no BC, dólar opera com leva alta

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar registrava leve alta no início da tarde desta quinta-feira, com o mercado local de olho nos leilões do Banco Central em meio a novos dados econômicos ruins no exterior. Às 12h40, a divisa norte-americana era cotada a 2,296 reais, em alta de 0,31 por cento, depois de ter chegado a subir 1,53 por cento no meio da manhã.

Reuters |

"Tem que esperar a abertura do mercado externo e ver para onde lá fora vai. A tendência do mercado mundial é de diminuição de negócios, volatidade", afirmou Francisco Carvalho, gerente de câmbio da corretora Liquidez.

O principal índice da Bovespa se descolava dos mercados externos e subia quase 3 por cento, enquanto na Europa, após abertura em alta, os mercados acionários caíam 0,6 por cento.

Entre os números divulgados nesta manhã está a contração de 0,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha no terceiro trimestre, o que significa que o país entrou em recessão. Além disso, um dos membros do Banco Central Europeu (BCE) afirmou que a economia na zona do euro também já está em recessão.

Enquanto isso, nos Estados Unidos, o número de pedidos de auxílio-desemprego subiu na semana passada para o maior patamar desde os ataques de 11 de setembro de 2001. E o número de pessoas com auxílio-desemprego contínuo é o maior em um quarto de século.

Atento aos reflexos do cenário global no mercado de câmbio doméstico, o Banco Central realiza mais atuações no mercado de câmbio nesta sessão.

Além dos 500 milhões de dólares que serão ofertados em mais um leilão de swap cambial tradicional --que ocorre entre 12h45 e 13h--, o BC ofertou mais 2 bilhões de dólares em um leilão destinado ao financiamento das exportações, vendendo 1,302 bilhão de dólares deste total.

João Medeiros, diretor de câmbio da Pioneer Corretora, apontou a cautela entre exportadores e importadores em relação ao fechamento de contratos de câmbio. "(Eles têm fechado) somente o câmbio estritamente necessário".

(Reportagem de Jenifer Corrêa)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG