Tamanho do texto

São Paulo, 11 - Com um volume menor de chuvas caindo na região Centro-Sul, o processamento voltou a avançar na segunda quinzena de agosto. A cana moída no período foi 9,95% superior ao mesmo volume processado em igual período de 2007.

No acumulado da safra 2008/09 até o final de agosto, a cana processada atingiu 282,46 milhões de toneladas, volume 8,66% superior ao do mesmo período da safra anterior (2007/08). As informações são da União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica).

Segundo a entidade, as condições climáticas também favoreceram o aumento da concentração da quantidade de açúcares por tonelada de cana. Na segunda quinzena de agosto, a concentração por tonelada ficou em 152,29 quilos de açúcares totais (ATR - Açúcar Total Recuperável), o que ficou 1,12% acima do resultado obtido na mesma quinzena da safra 2007/08.

Apesar disso, a baixa quantidade de açúcares obtida no primeiro terço da safra 2008/09 fez com que a média acumulada atual de ATR ficasse abaixo da atingida na safra anterior. O total acumulado chegou a 135,70 quilos na safra 2008/09, uma queda de 2,55% em relação à safra anterior.

A produção acumulada de açúcar chegou a 14,794 milhões de toneladas, com uma redução de 4,44% em relação ao total da safra 2007/08 no mesmo período. Mas o volume de etanol superou o produzido na safra anterior em 14,54%, com um incremento mais acentuado, de 23,63%, na produção do etanol hidratado.

Competitividade

"O aumento na produção de etanol hidratado é fruto do ganho de sua competitividade frente à gasolina. Esta competitividade foi proporcionada pela relação de preços entre os produtos e o incremento mensal da frota de veículos flex, que consome predominantemente o etanol hidratado", afirmou Antônio de Pádua Rodrigues, diretor-técnico da Unica.

O mix de produção da safra atual continua concentrado em etanol. Da cana processada até o final da segunda quinzena de agosto, 40,51% do total foram para a produção de açúcar e 59,49% para a produção de etanol (39,09% para o hidratado e 20,40% para o anidro). No período de abril a agosto deste ano, o volume físico de etanol entregue pelas unidades distribuidoras no mercado interno foi de 8,4 bilhões de litros, 32,02% acima do obtido no mesmo período da safra passada.

Exportações

Quanto às exportações no mesmo período, o volume chegou a 2,4 bilhões de litros, 59,32% superior ao da safra passada. Do volume total destinado ao mercado externo, 55% foi de etanol anidro e 45% de hidratado. O principal destino do etanol brasileiro vem sendo o mercado americano, que absorveu desde o início da safra até o final de agosto 68% das exportações.

Do total exportado para os Estados Unidos, 46% seguiu via Caribe e 54% diretamente do Brasil, com os encargos da tarifa de US$0,54 por galão imposta ao etanol importado pelo governo americano. Do total exportado, 22% foram absorvidos pelo mercado europeu.

Das 32 unidades previstas para iniciar moagem nesta safra, 20 estavam produzindo na primeira quinzena de setembro. Outras nove unidades deverão operar a partir da segunda quinzena, enquanto três unidades postergaram o começo das atividades para a próxima safra (2009/2010).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.