Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Com Intelig, TIM economizaria parte dos R$ 677 mi c/aluguel de rede

Caso concretize a compra da operadora de longa distância Intelig, a TIM Participações poderia economizar boa parte dos cerca de R$ 677 milhões que devem ter sido desembolsados em 2008 com aluguel de infraestrutura de rede, calculam analistas que acompanham o mercado de telecomunicações. A necessidade de alugar os circuitos de outras operadoras força a TIM a cobrar, hoje, 10% a mais que suas concorrentes nas chamadas de longa distância, segundo o diretor da consultoria Teleco, Eduardo Tude.

Agência Estado |

"Uma eventual compra não altera a participação de mercado da TIM porque a Intelig perdeu muita presença e ficou mais centrada no mercado corporativo. Com uma rede própria de longa distância, a TIM vai ter custos menores, mas alguma coisa ela vai continuar alugando", afirmou.

Pela estimativa dos analistas, os gastos da TIM com rede e interconexão 2008 somaram R$ 3,86 bilhões. Somente no terceiro trimestre, foram destinados R$ 1,07 bilhão a esta finalidade. O mercado estima que o dispêndio com aluguel de infraestrutura de rede corresponda a algo entre 15% e 20% deste valor. "A compra da Intelig não deve zerar o gasto com rede da TIM, mas faria todo o sentido do ponto de vista estratégico", afirmou o analista de um banco.

Mesmo considerando que a compra traria à TIM importantes ganhos de sinergia, os analistas dizem desconhecer o valor dos ativos da Intelig, empresa de capital fechado que não torna públicas suas informações. Além disso, a Intelig carrega passivos legais e trabalhistas, cujos valores o mercado não consegue mensurar.

Presente no mercado de telecomunicações desde 2000, a Intelig foi comprada no início de 2008 pelo Grupo Docas, do empresário Nelson Tanure. Uma das poucas informações da companhia é que sua receita bruta foi de R$ 740 milhões em 2007, segundo a consultoria Teleco. Naquela época, a Intelig detinha 1,9% de participação no mercado de Longa Distância Nacional (LDN) e, um ano antes, 5% do mercado de Longa Distância Internacional (LDI). De acordo com a assessoria de imprensa da Intelig, a tele tem 16 mil quilômetros de rede de fibra ótica própria instalada de Norte a Sul do País. Com sede no Rio de Janeiro, a Intelig possui escritórios regionais em São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal.

Para melhorar seu gerenciamento de custos, a diretoria da TIM tem expressado, nos últimos trimestres, sua preocupação em reduzir a dependência de redes alugadas e se preparar para a expansão do tráfego de dados, especialmente após o lançamento do rede de terceira geração (3G). Isso significa construir backbone (parte central da rede de dados) próprio ou até comprar redes de terceiros, como admitiu hoje a TIM, que estão em curso discussões preliminares com a Intelig.

Além de manifestar interesse pela compra de redes de terceiros, a TIM anunciou, em novembro do ano passado, investimentos de aproximadamente R$ 40 milhões para instalar uma rede de fibra óptica no Rio de Janeiro, cujas vendas estavam previstas para começar a ocorrer em 2009. Com vistas a ampliar sua capacidade de transmissão de dados, a TIM também informou que faria uma licitação em São Paulo e em Belo Horizonte para construir sua malha de internet em alta velocidade, com planos de levar a fibra óptica a outras quatro cidades também em 2009.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG