Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Com inflação em alta, Fiesp baixa o tom de críticas ao BC

SÃO PAULO - Crítica contumaz da política monetária do Banco Central (BC), a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) demonstra atualmente certo comedimento diante das últimas elevações da taxa básica de juros (Selic). Com a inflação em preocupante alta, a entidade já admite entender a postura do BC.

Valor Online |

O diretor do Departamento de Economia da Fiesp, Paulo Francini, disse hoje que o caráter global da inflação, atrelada especialmente aos preços dos alimentos e do petróleo, justificaria o combate por meio de aperto monetário. Ele destacou ainda o aumento do superávit primário como uma medida auxiliar para o combate à inflação e lembrou que a redução dos gastos públicos também poderia ajudar.

O executivo, entretanto, não perdeu a chance de dizer que o BC desperdiçou várias oportunidades de permitir um crescimento maior da economia brasileira, ao não cortar os juros de forma mais aguda nos momentos em que a inflação não assustava. Talvez o momento de recuperar (essas chances perdidas) seja agora, explicou Francini.

Segundo ele, o salto inflacionário já começou a influenciar a atividade da indústria. A demanda de alguns setores já mostra sinais de cansaço. Não é uma situação ruim, pois a indústria não está cortando empregos, mas já não tem mais o mesmo vigor, disse o economista, sem citar setores específicos.

A Fiesp apresentou hoje o balanço da geração de empregos na indústria paulista no mês de junho, quando foram criadas 5 mil novas vagas. Houve uma alta de 0,19% em relação ao mês de maio, já com ajuste sazonal. Se considerado o primeiro semestre, a indústria abriu 141 mil novos postos de trabalho, com destaque para o setor sucroalcooleiro.

Francini acredita, no entanto, que os próximos meses mostrem estabilidade no emprego, sem a abertura significativa de novas vagas. Além do impacto da inflação sobre a demanda, especialmente da população de baixa renda, o fim da temporada de contratações no setor de açúcar e álcool também deve ditar esse movimento.

(Murillo Camarotto | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG