Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Com bom humor mundial, Bovespa sobe quase 10%

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) seguiu o bom humor mundial depois que o governo dos Estados Unidos acenou com um plano de longo prazo para resolver a crise financeira. O Ibovespa fechou o pregão desta sexta-feira em forte alta, de 9,57%, aos 53.055 pontos, alta só inferior à de 33% de 15 de janeiro de 1999, quando houve a mudança do regime cambial, que deixou de ser fixo e passou a ser flutuante, o que trouxe uma grande desvalorização do real frente ao dólar. O giro financeiro somou R$ 7,66 bilhões, o maior desde o final de julho.

Redação com agências |

 

Acordo Ortográfico

Durante o pregão desta sexta-feira, o Ibovespa oscilou entre a mínima de 48.424 pontos (estabilidade) e a máxima de 53.168 pontos (+9,80%). 

Confirmando as notícias que começaram a sair na noite de quinta-feira, de que o governo dos EUA planeja a criação de uma agência para coordenar o processo de salvamento de instituições financeiras e comprar créditos podres (lastreados em empréstimos imobiliários com possibilidade de pagamento duvidosa), o secretário do Tesouro, Henry Paulson, disse que trabalhará arduamente no fim de semana com os congressistas para formatar um plano que resolva as raízes da crise financeira. "Estamos falando de centenas de bilhões de dólares", disse.

Em linhas gerais, as medidas anunciadas foram: o governo dos EUA planeja criar um fundo para comprar dívidas podres dos bancos de investimentos e outras instituições financeiras; a decisão da SEC (a comissão de valores mobiliários norte-americana) de proibir temporariamente as vendas a descoberto de posições de 799 companhias financeiras por um período de 10 dias - o Reino Unido e Austrália também proibiram a venda de ações a descoberto; o plano do Federal Reserve (Fed, banco central americano) para recomprar obrigações de dívida relacionadas às agências hipotecárias Fannie Mae e a Freddie Mac de certas instituições financeiras. Há ainda outras medidas adicionais com objetivo de estancar a crise; e o programa do Departamento do Tesouro dos EUA para garantir ativos dos fundos mútuos do mercado monetário.

Com a variação desta sexta-feira, o índice acumulou alta de 1,2% numa semana aberta sob o sgino do pânico, com o colapso do Lehman Brothers e ao socorro à seguradora AIG, e que terminou com uma euforia nunca vista nos últimos cinco anos de valorização consecutiva do mercado. As perdas de setembro ficaram reduzidas para 4,71%. No acumulado de 2008, o Ibovespa registra queda de 16,95%.

Arte/US

Nesta sexta-feira, nenhuma ação do Ibovespa fechou em baixa. As ações preferenciais (PN) da Petrobras, as mais negociadas, fecharam em alta de 8,07% a R$ 34,80. As ações ordinárias da estatal ganharam 9,16% e fecharam a R$ 42,90. Vale PNA (ação preferencial da classe A), o segundo papel mais negociado na Bolsa, subiu 6,21% a R$ 36,75. A terceira ação mais negociada foi BM&FBovespa ON, que disparou 15,41% a R$ 9,06.

Dólar

Depois de ver seu valor subir ante o real por vários dias, o dólar teve forte queda nesta sexta-feira, com os investidores sendo obrigados a rever suas apostas contra a moeda brasileira. A moeda americana fechou esta sexta-feira com desvalorização de 4,74%, cotado a R$ 1,830, na maior queda diária em mais de seis anos nesta sexta-feira, anulando a disparada da véspera com a atuação do Banco Central e o otimismo internacional por um plano dos Estados Unidos contra a crise financeira.

O mercado, porém, não conseguiu reverter completamente a alta acumulada na semana e ainda exibiu valorização de 2,75% em relação à sexta-feira passada.

O mercado de câmbio viu nesta sexta-feira um evento que não era observado desde fevereiro de 2003. O Banco Central (BC) interveio vendendo US$ 500 milhões no mercado à vista. O BC recomprará as divisas norte-americanas em 23 de outubro, 30 dias corridos após a liquidação financeira da transação realizada nesta sexta-feira, que acontecerá em 23 de setembro.

A decisão de intervir na ponta vendedora veio na última quinta-feira, depois que moeda norte-americana chegou a subir mais de 5% ante o real. No entanto, o BC não contava com essa forte virada de humor nos mercados globais, que resulta em disparada das bolsas e acentuada queda no preço do dólar desde o começo do dia.

Todas as apostas mudaram drasticamente depois que saíram notícias sobre o estudo do governo norte-americano de criar uma agência com diversas atribuições, como a de coordenar o processo de compra, venda e resgate de instituições financeiras, além de concentrar os créditos podres.

(Com informações do Valor Online, Reuters e Agência Estado)

Serviço 

 

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Opinião

 

Leia mais sobre Bovespa - dólar

COMENTE: E você, tem investimentos em ações? Conte a sua história

Leia tudo sobre: bovespadolar

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG