Por Aluísio Alves SÃO PAULO (Reuters) - Dados positivos da economia dos Estados Unidos, combinados com uma recuperação dos preços das commodities, empurraram gestores de fundos para a ponta compradora na Bolsa de Valores de São Paulo, que subiu forte após três sessões em queda.

O Ibovespa fechou com alta de 2,13 por cento, para 55.519 pontos. O giro financeiro, no entanto, somou apenas 3,58 bilhões de reais.

As blue chips novamente ditaram o rumo do índice. As ações preferenciais da Petrobras subiram 2,95 por cento, para 35,20 reais, depois que a cotação do barril do petróleo superou os 118 dólares, diante de temores de que uma tempestade tropical interrompa a produção de gás no Golfo do México.

As preferenciais da Vale seguiram a recuperação internacional das commodities metálicas e subiram 4 por cento, para 38,50 reais.

Além do dia positivo nos mercados de matérias-primas, os principais índices de Wall Street subiram, depois da divulgação dos dados sobre as encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos, que vieram acima das expectativas. O Dow Jones avançou 0,79 por cento.

Na bolsa paulista, ações de bancos ajudaram a reforçaram a tendência positiva, após o Citi divulgar relatório elevando a recomendação do setor no país para 'acima da média do mercado'.

Em destaque, Banco do Brasil, a melhor do índice, disparou 5,4 por cento, a 23,40 reais.

'Como as ações estão muito baratas, cada vez que surgem notícias positivas alguns investidores se animam a comprar papéis', disse Newton Rosa, economista-chefe da SulAmerica Investimentos.

Para profissionais do mercado, todo esse pano de fundo facilitou a ação dos gestores de fundos, que foram às compras para aliviar as perdas acumuladas das carteiras atreladas ao Ibovespa. A duas sessões do final de agosto, o índice ainda registra baixa de 6,7 por cento.

SOBREPESO

Assim como vem acontecendo nos últimos meses, nesta quarta-feira o Ibovespa seguiu a orientação de Petrobras e Vale. Um estudo divulgado nesta quarta-feira, aliás, mostrou que o peso de Petrobras e Vale no índice ganhou ainda mais realce este ano.

De acordo com o levantamento da consultoria Hera, se Petrobras e Vale não existissem, o principal índice brasileiro de ações teria subido somente 23,7 por cento em 2007, em vez dos 43,6 por cento acumulados. Neste ano, porém, sem ambas as gigantes, a queda acumulad do Ibovespa no ano até 18 de agosto teria sido de 10,2 por cento e não dos 16,5 por cento.

(Edição de Vanessa Stelzer)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.