Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Com alta de 32%, ouro foi a melhor opção de investimento em 2008

SÃO PAULO - O investimento em ouro liderou o ranking de investimentos acompanhados em 2008. O metal precioso garantiu alta de 32,13% em 2008, mesmo depois da forte rodada de queda no preço das commodities, reflexo da crise internacional.

Valor Online |

Fez dinheiro também quem apostou na moeda norte-americana. O dólar comercial acumulou alta de 31,34% em 2008, pondo fim a uma seqüência de cinco anos seguidos de perda de valor. No entanto, vale lembrar que essa alta foi concentrada nos meses finais, pois até o começo de setembro, a divisa estrangeira acumulava desvalorização ante o real.

Outra opção bastante rentável no segmento cambial foi o euro. A moeda comum européia ganhou 26,55% em 12 meses.

Já Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), vedete do investidor nos últimos cinco anos, encerrou 2008 devendo 41,22%. O resultado é o pior desde 1972, quanto o índice afundou 44,42%.

Até o agravamento da crise financeira internacional, o Ibovespa caminhava para o sexto ano consecutivo de valorização. Emergentes em foco no mundo todo e duas classificações de grau de investimento impulsionaram o índice para cima dos 73.500 pontos nas máximas registradas até 20 de maio. Daí em diante o Ibovespa teve uma única direção: para baixo, testando mínimas aos 29.435 pontos em 20 de outubro.

Na renda fixa, o CDI acumulou rendimento de 12,38% em 2008, enquanto o CDB avançou 12,24%. A tradicional poupança proporcionou rendimento de 7,90% entre janeiro e dezembro.

Já no mês de dezembro, a opção mais rentável foi o euro, que apresentou variação positiva de 11,43%. Na seqüência veio o ouro, que teve valorização de 10,64%.

A terceira colocação fica com a Bovespa, que terminou ganhando 2,61%, primeiro mês de valorização desde maio.

A renda fixa fica com as colocações seguintes, com CDI e CDB avançando 1,11% e 1,06%, respectivamente no mês.

O dólar marcou o quinto mês seguido de alta, avançando 0,82%, superando, assim, o rendimento da poupança, que teve apreciação de 0,72%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG