O clima chuvoso nas principais regiões produtoras do País beneficiou o desenvolvimento das lavouras e vai permitir produção recorde de 146,31 milhões de toneladas de grãos na atual safra, segundo nova estimativa divulgada ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao Ministério da Agricultura. Além do clima favorável, a antecipação do plantio das lavouras de soja em Mato Grosso e a ampliação de 3% na área plantada com a segunda safra de milho vão contribuir para a colheita de uma safra 8,3% superior ao volume colhido no ano agrícola anterior, 2008/09.

O clima chuvoso nas principais regiões produtoras do País beneficiou o desenvolvimento das lavouras e vai permitir produção recorde de 146,31 milhões de toneladas de grãos na atual safra, segundo nova estimativa divulgada ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao Ministério da Agricultura. Além do clima favorável, a antecipação do plantio das lavouras de soja em Mato Grosso e a ampliação de 3% na área plantada com a segunda safra de milho vão contribuir para a colheita de uma safra 8,3% superior ao volume colhido no ano agrícola anterior, 2008/09. Ao divulgar os resultados do levantamento, o governo lembrou que a expectativa de produção foi revisada em 1,6% em relação ao previsto em março, quando a colheita foi estimada em 143,95 milhões de toneladas. O volume atual supera o recorde de 144,14 milhões de toneladas da safra 2007/08. Pelo levantamento da estatal, 50% de toda a safra de grãos já foi colhida. O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, lembrou ainda que o uso de tecnologia contribuiu para o crescimento da produção agrícola. Durante entrevista coletiva para divulgar os números, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Edilson Guimarães, no entanto, demonstrou preocupação com o cenário para a comercialização de milho. Ele estimou que o estoque de milho soma 6 milhões de toneladas. Além desse excedente, há perspectiva de colheita de 20,73 milhões de toneladas de milho safrinha, grãos que chegarão ao mercado no segundo semestre. Nesse cenário, o governo terá "de ter uma atuação bastante forte", lembrou o secretário. "É o desafio nas próximas semanas e meses: garantir a renda do produtor e o abastecimento", afirmou. A previsão da Conab indica que a produção de milho safrinha crescerá 19,5%, resultado influenciado pela previsão de crescimento na área plantada e de elevação de 15,9% na produtividade das lavouras. Somada a produção das duas safras anuais, a colheita será de 54,14 milhões de toneladas, aumento de 6,1% em relação ao volume produzido no ano passado.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.