Ficar atento à economia doméstica é essencial para conseguir manter uma boa situação financeira; confira dicas para economizar com as contas de casa

Comparar preços na internet é uma boa estratégia para melhorar sua economia doméstica
shutterstock
Comparar preços na internet é uma boa estratégia para melhorar sua economia doméstica

Economia doméstica, sem dúvidas, é uma das principais dificuldades do brasileiro do século XXI.

Leia também: Finanças: três armadilhas financeiras que acabam com o seu dinheiro!

E agora com a crise, é fato de que os problemas com a economia doméstica se intensificaram. O desemprego alto prejudica a estabilidade do emprego, e com isso fica difícil evitar que as contas de casa consumam uma boa parte do nosso salário.

Porém, mesmo nesse cenário, ainda pode ser possível economizar em alguns gastos. Separei 3 dicas que podem te ajudar a economizar um pouquinho mais do seu dinheiro. São elas:

Dica 1: Compare preços pela internet

Para economizar, é importantíssimo usar a internet ao seu favor. Ela está ai para isso.

E uma das ferramentas mais úteis que ela pode te dar são os comparadores de preço. Basta pesquisar no google que você encontrará vários comparadores de preços, e muitas vezes comparadores que fazem a comparação de mais de um produto diferente!

Os comparadores são importantes porque te ajudam a economizar duas coisas fundamentais: o seu dinheiro e o seu tempo.

Dinheiro porque, óbviamente, você consegue comparar os preços de vários produtos e ver qual preço é o mais barato.

E claro, você pode fazer isso para todo tipo de produto que for comprar. Por isso, é até bom você fazer uma “wishlist”, e sempre ir comparando para ver um momento certo de comprar! Em datas especiais, como “Black Fridays”, você consegue aproveitar ainda mais esse tipo de comparador.

Claro que, ainda precisamos ter algo em mente: isso não necessariamente exclui a possibilidade de você pechinchar por um valor ainda menor.

Isso porque, o lado positivo de comprar na loja física é poder justamente pechinchar e entrar em um acordo de desconto com o vendedor, o que pode, muitas vezes, nos garantir uma compra bem mais barata do que em uma loja online.

Você só precisa ficar atento ao fato de que a loja física pode ter preços diferentes da loja online, mesmo que ambas sejam da mesma empresa. Como os comparadores pegam os preços da internet, pode ser até que você encontre valores menores (ou maiores) nas lojas físicas.

Por isso, o comparador é util e tem que ser utilizado como uma referênci. Você pode usar os preços online do comparador para visualizar qual empresa vende pelo menor preço, e, em seguida, se deslocar até uma loja física dela para comparar o preço e ver se é possível pechinchar por um preço ainda menor.

Mas, ainda temos uma economia bônus: o tempo.

Isso porque, antes da internet, você precisaria ir em várias lojas diferentes e comparar os produtos sem ter nenhuma ideia do que vai encontrar. Isso fazia com que você perdesse muito tempo indo comparar produtos em empresas diferentes.

Agora, com a internet, em 10 minutos você já tem uma ideia das diferenças, sem nem ter saído de casa.

Leia também: Dinheiro: existem 2 formas de ficar rico; você sabe quais são?

E mais: Se você ver que os preços das lojas físicas seguem a linha das lojas online, você não precisa nem perder muito tempo comparando as empresas uma por uma.

Essa economia de tempo pode ser de grande valia se você sabe como aproveitar o tempo. Seja para lazer, ou até mesmo ganhar um dinheirinho extra. Vai de você.

Dica 2: Use seus gastos em programas de fidelidade

Apesar de terem os seus benefícios claros, os programas de fidelidade ainda não são muito utilizados pelos brasileiros.

E, com essa falta de uso, as pessoas perdem uma oportunidade enorme de economizar nos seus gastos sem que isso implica de se abster de gastar em algo essencial do cotidiano.

Um próprio exemplo disso são os programas de acumulação de pontos. A acumulação de pontos ocorrem cada vez que você compra alguma coisa. Essa compra te retorna alguns pontos de um programa de fidelidade e, ao juntar um número suficiente de pontos, você consegue trocar estes pontos por algum produto do qual esteja interessado, sem nenhum gasto adicional por isso.

Ou seja, o grande pulo do gato aqui é conseguir alguns bens de graça por meio de um gasto que, em si, você não tem como fugir. Veja que isso não implica que você deve gastar todo o seu dinheiro sem economizar nada, mas sim que você, por meio dos gastos que não dá para fugir, consiga ainda ter acesso à alguns produtos.

E o melhor é que estes tipos não são os únicos. Vemos também alguns tipos diferentes de programas, como aqueles chamados de cashbacks, que retornam uma porcentagem do dinheiro que você gasta ao efetuar uma compra.

São conceitos bem bacanas, que, se usados com inteligência e frequência, podem te gerar uma economia mensal muito satisfatória.

Dica 3: Do it Yourself

O “Do It Yourself”, ou em português, “Faça você mesmo”, é um assunto já popularizado na internet mundial.

No Youtube, por exemplo, basta procurar por “DIY” que você encontra uma série de vídeos que te ensinam a fazer coisas sozinho. Isso desde coisas relativamente simples, como sabão e detergente, a até mesmo coisas complexas, como relógios e filtros d'água.

A grande realidade é que hoje a internet é um grande apanhado de várias dicas úteis sobre como você mesmo pode fabricar seus produtos, gastando menos por eles e ajudando sua economia doméstica.

Então, seguindo essa ideia, se você planeja economizar com produtos domésticos, procurar por formas de fazê-los você mesmo acaba constituindo como uma forma divertida de cuidar do seu bolso.

Claro, ás vezes temos mais confiança em um produto que vemos no mercado do que em uma solução que vemos num blog na internet, mas bom, não custa tentar, não é mesmo?

Se o seu objetivo é economizar, você pode pelo menos tentar por em prática para ver se vale a pena, ainda mais se a sua situação financeira está apertada. Irá te consumir tempo, é verdade, e às vezes até tempo demais, mas uma outra vantagem aqui é que, além de produzir para si mesmo, você pode produzir em maiores quantidades e vender por aí.

Leia também: Casamento: dicas para o casal quitar as dívidas e melhorar o relacionamento

Ao fazer um DIY, recomendo que comece pelo básico: o sabão.  Assim, você consegue pelo menos ir engatando aos poucos na ideia e na qualidade dos produtos feitos por você!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.