Os presidentes da Colômbia, ¿?lvaro Uribe, e do Peru, Alan Garcia, e representantes da União Europeia assinaram hoje um acordo de livre comércio para impulsionar o comércio e os investimentos entre as partes. Depois que o acordo for aprovado pelo parlamento europeu e pelos Congressos do Peru e da Colômbia, uma ampla lista de bens poderá ser negociada sem tarifa entre a UE e os dois países.

Os presidentes da Colômbia, ¿?lvaro Uribe, e do Peru, Alan Garcia, e representantes da União Europeia assinaram hoje um acordo de livre comércio para impulsionar o comércio e os investimentos entre as partes. Depois que o acordo for aprovado pelo parlamento europeu e pelos Congressos do Peru e da Colômbia, uma ampla lista de bens poderá ser negociada sem tarifa entre a UE e os dois países. O acordo não exige que Peru e Colômbia liberem o comércio bilateral.

O acordo vai beneficiar todas as partes e impulsionar o comércio, disse José Luiz Zapatero, primeiro ministro da Espanha, país que detém a presidência rotativa da UE. "As estimativas existentes sobre o aumento na capacidade comercial e nos fluxos de comércio vão ser semelhantes nos dois lados, talvez com vantagens para o Peru e a Colômbia", disse Zapatero, de acordo com um relatório do Ministério do Exterior peruano.

"De qualquer ângulo que seja analisado, vai ser positivo", disse Andres Jimenez, um analista de mercado da corretora local Interbolsa. Ele afirmou que o acordo vai beneficiar principalmente os setores que mais usam mão de obra, como a indústria têxtil, por exemplo. Além disso, o acordo deve encorajar investimentos de empresas europeias nos dois países da América do Sul.

No primeiro trimestre do ano, a Colômbia exportou US$ 1,25 bilhão de bens para a Europa, cerca de 14% do total de exportações do país. Produtos sensíveis, como banana e açúcar, vão ter mais acesso aos mercados europeus do que antes. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.