A forte aprovação ao governo e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva não significa, segundo a pesquisa CNT/Sensus, que a população não esteja preocupada com a crise econômica. Pelo contrário.

Segundo o diretor do instituto Sensus, Ricardo Guedes, o levantamento possui diversos alertas sobre a crise. Entre os 2 mil entrevistados, 83,5% têm acompanhado ou já ouviram falar da crise.

Com relação à situação do Brasil durante a crise, 52,3% de todos os entrevistados afirmaram que o Brasil já está sendo afetado. Entre os que disseram já ter conhecimento da crise, esse porcentual aumenta para 62,6%. Para 18,6% do total de respostas, a crise ainda vai atingir o País. Entre os que disseram já ter conhecimento da crise, a taxa é de 22,3%.

Quando questionados sobre o reflexo da crise sobre sua vida pessoal, 28,7% de todos os entrevistados afirmaram já foram atingidos. Os que disseram já ter conhecimento da crise foram 34,4%.

Do total de entrevistados, 31,6% acham que o Brasil está preparado para enfrentar as turbulências e 33,4% avaliam que não está. Considerando apenas as pessoas que inicialmente disseram ter informações sobre a crise, a taxa dos que acham que o Brasil está preparado é de 37,9%, contra 40% que acreditam que o País não está preparado.

Com relação ao futuro, porém, a expectativa dos entrevistado é positiva. Isso ajuda a explicar por que a popularidade de Lula bateu recorde ao mesmo tempo em que a crise começa a ser citada. "As medidas do governo e, principalmente, o discurso de Lula afirmando que o Brasil vai sair bem da crise ajudaram na avaliação do governo. A população está dando voto de confiança ao presidente Lula", afirmou Guedes.

Para 35% de todos os entrevistados, o Brasil sairá fortalecido da crise, contra 23% que julgam que o País ficará enfraquecido. Dentre os que possuem o conhecimento da crise, 41,9% acham que o País sairá mais forte e 27,5%, mais fraco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.