Embora o ministro da Fazenda, Guido Mantega, tenha anunciado esta manhã uma prorrogação de dez dias para o prazo de pagamento de alguns impostos federais, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, disse hoje que, na prática, o prazo para recolhimento da Programa de Integração Social/Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (PIS/Cofins) vai aumentar em apenas cinco dias, passando do dia 20 para o dia 25 de cada mês. O PIS/Cofins já é recolhido no último dia do segundo decêndio (dia 20), disse, em discurso durante a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), o Conselhão.

A CNI foi a autora do pedida para que o governo prorrogasse o prazo para recolhimento dos impostos.

A reclamação de Monteiro Neto foi feita pouco depois de o ministro Mantega anunciar, na mesma reunião, a prorrogação do pagamento dos tributos. Mantega informou que o governo irá postergar em 10 dias o recolhimento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e do PIS/Cofins, que passará do dia 15 para o dia 25, e o do Imposto de Renda Retido na Fonte e da Contribuição Previdenciária, passando do dia 10 para o dia 20.

O dirigente empresarial afirmou que o ideal seria deixar que o pagamento do PIS/Cofins ocorresse no último dia útil do mês, o que resultaria numa prorrogação de dez dias, sem afetar o fluxo de caixa do governo, já que o dinheiro entraria nos cofres públicos ainda dentro do mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.