Tamanho do texto

Ritmo de crescimento brasileiro será superior aos 4,2% previstos para a economia mundial

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) elevou sua projeção de crescimento da economia brasileira em 2010. Segundo o Informe Conjuntural, divulgado hoje pela entidade, o Produto Interno Bruto (PIB) do País deverá crescer 6% neste ano. Em dezembro, a previsão da CNI era de uma expansão de 5,5%.

De acordo com o documento, o ritmo de crescimento brasileiro será superior aos 4,2% previstos para a economia mundial. "Dados preliminares referentes ao primeiro trimestre de 2010 não só confirmam a tendência de robusto crescimento, como também indicam aceleração do ritmo de expansão da atividade econômica. Nesse sentido, a CNI elevou a estimativa do PIB de 5,5% para 6,0% em 2010", registrou o Informe.

Para a CNI, a indústria será neste ano o setor que mais contribuirá para o desempenho da economia. A projeção da entidade para o PIB industrial foi elevada de 7% em dezembro para 8% no Informe divulgado hoje. "As perspectivas dos empresários industriais captadas em abril para os próximos seis meses são de aumento na demanda de forma cada vez mais disseminada pela indústria. Há, inclusive, otimismo em relação às exportações futuras", destacou o documento.

A CNI também reviu para cima a projeção para o consumo das famílias. Segundo o Informe, esse componente do PIB, que foi fundamental para a economia brasileira se recuperar dos efeitos da crise, será, do lado da demanda, o que mais contribuirá para a expansão do PIB em 2010. A previsão é de que o consumo das famílias cresça 6,2% neste ano, ante 5,6% da projeção feita em dezembro.

"A expansão da economia também estimula os investimentos. De acordo com a previsão da indústria, os investimentos, que tiveram uma queda de 9,9% em 2009, aumentarão 18% em 2010", destacou a CNI, lembrando que a previsão anterior, de dezembro de 2009, apontava para um crescimento dos investimentos de 14%. Para a taxa de desemprego, a previsão da CNI é de que a variação média anual atinja 7,2% da População Economicamente Ativa (PEA), ante 7,6% da previsão anterior.

Inflação

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2010 será de 5,4%, segundo a nova previsão da CNI. Essa projeção é maior que a feita em dezembro de 2009, quando a entidade previa um índice de 4,7%.

"O IPCA nos quatro primeiros meses de 2010 veio mais intenso do que o previsto pelo mercado. Em função disso, mesmo um desempenho favorável dos preços administrados e dos produtos industriais durante o ano não evitará que a inflação ultrapasse o centro da meta de 4,5% a.a, em função do grupo alimentos e bebidas", destacou o Informe da CNI.

Com isso, a entidade também projeta um alta para a Selic (a taxa básica de juros da economia), que deverá chegar ao fim do ano em 11% ao ano, segundo o Informe Conjuntural. Em dezembro, a previsão da entidade era de uma taxa de juros ao fim de 2010 de 8,75% ao ano. "O sistema de metas de inflação, foco da política monetária, levou ao aumento da taxa básica de juros Selic em abril (de 8,75% para 9,5% a.a.). Essa deverá ser a tendência seguida nas próximas reuniões do Copom (o Comitê de Política Monetária). A CNI estima que a taxa se eleve em 2,25 pontos porcentuais (p.p.) em 2010", destaca.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.