Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

CNI eleva projeção do PIB 2010 para 7,5%

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) revisou para cima sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano de 7,2% para 7,5%

AE |

selo

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) revisou para cima sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano de 7,2% para 7,5%. No entanto, o Informe Conjuntural do terceiro trimestre, divulgado hoje pela entidade, manteve em 12,3% a taxa esperada de expansão do PIB industrial em 2010, assim como o crescimento de 24,5% na formação bruta de capital fixo.

Além disso, a taxa de desemprego projetada pela CNI também deve continuar em 7%, assim como na projeção feita no fim do segundo trimestre. Segundo o documento, o consumo das famílias deve crescer 7,6% em 2010 ante estimativa anterior de 7,3%.

IPCA

A CNI reduziu para 5% a estimativa de inflação, medida pelo IPCA, em 2010. No trimestre anterior, a projeção da CNI era

de 5,4%.

O documento também rebaixou a estimativa para a taxa básica de juros (Selic) ao final deste ano, para a taxa atual de 10,75% ao ano ante uma estimativa anterior de 11,5%. A CNI ainda revisou a expectativa para o déficit público nominal, elevando a previsão para 3,1% do PIB ante 2,95% estimado anteriormente.

Além disso, o superávit primário deve ficar em 2,35% do PIB em 2010 de acordo com a CNI, que antes previa uma economia para o pagamento dos juros de 2,6%. Por fim, a dívida líquida pública deve fechar o ano em 41% do PIB na projeção da CNI, ante a estimativa anterior de 40,9% do PIB.

Câmbio

Para o câmbio, a CNI rebaixou a projeção para a taxa de câmbio média em dezembro deste ano de R$ 1,79 para R$ 1,70, de acordo com dados divulgados hoje no Informe Conjuntural do terceiro trimestre.

Apesar disso, a estimativa da entidade para as importações em 2010 manteve-se em US$ 180 bilhões, enquanto a projeção das exportações aumentou de US$ 190 bilhões para US$ 192 bilhões. Com isso, a previsão para o saldo comercial no ano aumentou de US$ 10 bilhões para US$ 12 bilhões. Contudo, a estimativa para o saldo em conta corrente continua negativa em US$ 54 bilhões.

Leia tudo sobre: ECONOMICOECONOMIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG