Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

CNI: crise reduz expectativas de compra de matéria-prima

O agravamento da crise financeira internacional aumentou a incerteza dos empresários em relação ao cenário externo e ao doméstico. É o que mostra a Sondagem Industrial do terceiro trimestre de 2008 divulgada há pouco pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Agência Estado |

Os empresários da indústria estão menos otimistas em relação à demanda e à compra de matérias-primas para os próximos seis meses e pretendem interromper o processo de aumento do número de empregos no setor.

Segundo a pesquisa, embora o indicador de demanda tenha se mantido positivo, com 53,5 pontos, ele recuou 7,7 pontos na comparação com o segundo trimestre. A queda, na avaliação da CNI, representa uma redução significativa no porcentual de empresas que prevêem aumento da demanda.

O índice de expectativa de compras de matérias-primas para os próximos seis meses recuou de 59,4 pontos para 51,1 pontos, refletindo, segundo a CNI, a incerteza quanto a evolução da demanda.

A Sondagem Industrial revelou também que os estoques das empresas aumentaram de forma mais intensa do que o planejado, principalmente nas grandes empresas. O indicador ficou em 51,8 pontos no terceiro trimestre contra 50,4 pontos do segundo trimestre. Quanto mais o indicador estiver próximo dos 50 pontos, mais ajustados estão os estoques. Indicadores muito acima dos 50 pontos mostram que os estoques estão acima do planejado.

Os empresários mantiveram-se pessimistas quanto a evolução das exportações. Pelo sétimo trimestre consecutivo, o indicador ficou abaixo dos 50 pontos, o que denota expectativa de queda nas vendas externas. O indicador ficou em 48,4 pontos. A pesquisa foi realizada no período de 30 de setembro a 20 de outubro com 1.443 empresas. O indicador varia de zero 100 pontos, sendo que abaixo de 50 pontos significa expectativa pessimista e acima de 50 pontos expectativas positivas.

Apesar das expectativas menos otimistas para os próximos seis meses, a Sondagem mostra que a atividade industrial continuou aquecida no terceiro trimestre, com aumento da produção, do emprego e da utilização da capacidade instalada. O aumento da produção, segundo a CNI, ocorreu para todos os portes de empresa, com destaque para as grandes empresas. O indicador de produção atingiu 57,8 pontos no terceiro trimestre ante 56,5 pontos no segundo trimestre.

O nível de utilização da capacidade instalada ficou em 78% no terceiro trimestre, um ponto porcentual acima do registrado no segundo trimestre do ano e do terceiro trimestre de 2007.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG