Brasília, 12 - O presidente da Comissão Nacional do Meio Ambiente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Assuero Doca Veronez, avalia amanhã à tarde em entrevista os reflexos do Decreto 6.514, assinado no mês passado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estabelece penas mais severas para autores de crimes contra o meio ambiente, segundo a assessoria de imprensa da CNA.

Segundo o governo, a nova lei reduzirá o tempo para que seja efetivamente punida uma pessoa ou empresas que tenha sido multada por crime ambiental. Atualmente, a demora vai de cinco a oito anos. A previsão é de que o tempo seja reduzido a um ano, no máximo. Os produtores rurais argumentam, no entanto, que as medidas resultarão em prejuízos econômicos e sociais. Assuero falará sobre a mobilização dos setores produtivos para questionar a legalidade da nova legislação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.