Tamanho do texto

BRASÍLIA - A financeira Topázio, sediada em Porto Alegre e controlada por três irmãos do grupo Prodesenho, quer ser transformada em banco múltiplo. O Banco Central (BC) teve que submeter o pleito ao Conselho Monetário Nacional (CMN), porque o controle do novo banco passará a ser detido pelo patriarca do grupo, brasileiro porém radicado no Uruguai e, portanto, considerado legalmente estrangeiro.

Hoje, o CMN aprovou o encaminhamento de proposta de decreto presidencial para acolher o controle externo do futuro banco Topázio. O novo controlador será Ernesto Corrêa da Silva Filho, pai dos sócios atuais da financeira Topázio criada em 2006, que passará a deter 100% do capital do grupo Prodesenho, de capital fechado.

O Prodesenho atua em vários ramos e no financeiro tem como principal marca a administradora de cartões Goodcard, segundo informou Edson Feltrin, chefe do Departamento de Organização do Sistema Financeiro Nacional (Deorf) do BC.

Embora nascido no Brasil, o futuro controlador transferiu domicilio para o Uruguai na década de 1990, onde pretende continuar, e aí é considerado controle estrangeiro, explicou Feltrin.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.