Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

CMN normatiza uso de poupança para financiar de giro de construtoras

BRASÍLIA - O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou que os bancos usem 5% dos depósitos em caderneta de poupança em empréstimos de capital de giro a empresas do setor de construção civil. Tais recursos entrarão na conta do percentual de direcionamento obrigatório a financiamentos imobiliários.

Valor Online |

De acordo com o chefe do Departamento de Normas do Banco Central (BC), Amaro Gomes, trata-se de regulamentação de medida anunciada ontem para capitalizar a construção civil. Nas contas do técnico, se todos os agentes do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) adotarem a regra, a liberação poderá chegar a R$ 9,3 bilhões.

A medida, entretanto, condiciona a aplicação apenas às operações com prazo máximo de 60 meses. Esses empréstimos também devem ser contratados até 31 de março de 2009, com crédito tomado por incorporadoras submetidas ao regime de patrimônio de afetação (cada projeto tem uma conta separada), ou a sociedades de propósito específico, constituídas para a construção e venda de imóveis.

Gomes lembrou que do total de recursos captados com poupança, o banco deve direcionar 65% para o crédito imobiliário. Os créditos para capital de giro poderão ser computados nesse percentual obrigatório.

Outros 20% da poupança ficam no BC como depósito compulsório remunerado por TR mais 6% ao ano, e 10% como compulsório adicional, remunerado pela taxa básica de juros Selic.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG