Brasília, 19 - O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou hoje um voto que prevê a ampliação dos limites de crédito de custeio para a avicultura de corte e para a suinocultura integrada. Os valores passaram de R$ 24 mil para R$ 40 mil, no caso do custeio da avicultura de corte, e de R$ 36 mil para R$ 60 mil, quando se tratar da produção de perus e suínos.

Em nota, o Ministério da Fazenda informou que a elevação dos limites de custeio foi determinada por causa da menor disponibilidade de recursos para financiamento pelas agroindústrias de aves de corte e de suínos, que foram prejudicadas pela crise financeira internacional. "Os ajustes nos limites vão assegurar a disponibilidade de recursos necessários à preservação da capacidade produtiva desse setor", informou o governo.

O CMN também autorizou a concessão de financiamento de custeio pecuário aos criadores de suínos para retenção de matrizes, em razão da redução da demanda externa por carne suína, também reflexo da crise internacional. O governo justificou a necessidade da concessão do financiamento lembrando a incapacidade do mercado interno de absorver maiores volumes de carne. O CMN aprovou ainda um ajuste na linha de crédito para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) Mais Alimentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.