Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

CMN confirma liberação de R$ 700 milhões para cooperativas agrícolas

BRASÍLIA - O Conselho Monetário Nacional (CMN) liberou mais R$ 700 milhões para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiar o capital de giro das cooperativas agrícolas. A decisão, anunciada no início da semana pelo ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, foi oficializada na reunião de hoje do conselho.

Valor Online |

Com a medida, o banco contará com R$ 1,7 bilhão para financiar as cooperativas agrícolas neste ano, dos quais R$ 1 bilhão somente em capital de giro. De acordo com o secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt, o governo poderá ampliar as linhas de crédito em mais R$ 300 milhões, o que totalizaria R$ 2 bilhões para estimular as cooperativas em 2008.

Os R$ 700 milhões saíram do remanejamento de linhas do próprio BNDES que, segundo Bittencourt, estavam sem demanda. Desse total, R$ 450 milhões vieram do Programa de Estímulo à Produção Agropecuária Sustentável (Produsa) e R$ 250 milhões foram remanejados do Moderagro, linha de crédito do BNDES para a compra de equipamentos de produção rural.

Para o secretário-adjunto, o remanejamento das linhas mostra que o governo está agindo para minimizar os efeitos da retração de crédito sobre a agricultura. "Estamos otimizando recursos. Não tem sentido manter recursos não-demandados em momentos de crise como o atual", disse.

O CMN também elevou, de R$ 10 milhões para R$ 20 milhões, o limite que cada cooperativa poderá pegar emprestado no BNDES para financiar o capital de giro. A medida vale apenas para esta safra.

Na reunião, o conselho também ampliou o prazo para o pagamento de despesas de produtores que aderiram à renegociação das dívidas rurais. Para os investimentos financiados com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e repassados pelo BNDES, a data limite para o pagamento das prestações referentes a 2008 e do mínimo necessário para aderir à renegociação passou para 15 de março.

Em relação às linhas de crédito de custeio e investimento com recursos de fundos constitucionais, o prazo para quitar as prestações do ano passado e efetuar os pagamentos necessários para efetivar a renegociação foi prorrogado para 31 de março.

(Agência Brasil)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG