Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

CMN avalia que tendência para inflação é de baixa

O secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt, explicou hoje que o Conselho Monetário Nacional (CMN) entendeu que, embora a inflação deste ano esteja um pouco acima do centro da meta, a tendência é de baixa e, por isso, ela deve convergir até o final do ano

AE |

O secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt, explicou hoje que o Conselho Monetário Nacional (CMN) entendeu que, embora a inflação deste ano esteja um pouco acima do centro da meta, a tendência é de baixa e, por isso, ela deve convergir até o final do ano. "O Conselho Monetário Nacional entendeu que daria para manter a meta de inflação (2012) no mesmo patamar atual", afirmou o secretário. Segundo ele a decisão foi tomada com o foco na inflação. O secretário evitou fazer uma avaliação mais ampla, considerando o ritmo de crescimento econômico. Bittencourt informou também que o CMN confirmou o centro da meta de inflação para 2011 em 4,5%, com uma variação de dois pontos porcentuais para baixo ou para cima.

Bittencourt disse que o CMN considerou a meta de inflação de 4,5% e o risco país de 150 pontos-base para manter em 6% ao ano a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) para o terceiro trimestre de 2010. "Por ser uma taxa de longo prazo, não consideramos apenas a expectativa do momento", disse o secretário.

Segundo ele, o risco país é um mix da média dos últimos meses, com a expectativa futura. Ele disse também que para fixar a TJLP o governo trabalha com o horizonte de um a 10 anos, que corresponde ao período da maior parte dos financiamentos do BNDES. A TJLP é a taxa utilizada pelo BNDES para corrigir os financiamentos do banco e é fixada a cada três meses pelo CNM.

Leia tudo sobre: ECONOMICO-ECONOMIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG