Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Clientes fazem fila para retirar dinheiro do IndyMac

Los Angeles (EUA.), 14 jul (EFE).

EFE |

- Centenas de clientes do IndyMac fizeram fila hoje na sede do banco em Pasadena (Califórnia) para retirar suas economias, depois que o Governo dos Estados Unidos interveio na entidade bancária na sexta-feira passada, informou a imprensa local.

Cerca trezentas pessoas chegaram horas antes da abertura de portas para tirar seu dinheiro do banco, que retomou suas atividades hoje com o nome de IndyMac Federal Bank e nas mãos da Sociedade Federal de Seguro de Depósito (FDIC, em inglês), uma agência pública.

A FDIC interveio na entidade na sexta-feira depois que os cofres do banco se esvaziassem.

"Diante das circunstâncias, não faz sentido seguir sendo cliente daqui", disse Glenn Schlundt à imprensa.

Os clientes do banco já haviam retirado US$ 1,3 bilhão desde 27 de junho diante das dúvidas sobre a solidez das contas do banco, que tinha uma bolsa muito ampla de hipotecas de baixa qualidade.

As 33 filiais do IndyMac, todas no sul da Califórnia, operarão hoje de forma rotineira, segundo a FDIC, que congelou, no entanto, as linhas de crédito que utilizam valores imobiliários como garantia.

Trata-se da segunda maior quebra bancária da história dos EUA e é a quinta entidade a falir este ano devido à escalada da inadimplência e à execução de empréstimos imobiliários, especialmente no setor das hipotecas (subprime).

A FDIC afirmou que os caixas automáticos funcionaram com normalidade durante o fim de semana.

No entanto, alguns clientes disseram ter tido problemas.

Julie Sarkissian prepara-se para abrir um restaurante em Pasadena e assinalou que o banco de um de seus provedores lhe disse que demoraria um mês e meio para depositar o dinheiro de um cheque do IndyMac.

Os clientes com contas de até US$ 100 mil terão acesso hoje a todo seu dinheiro, por estar assegurado pela FDIC.

As aproximadamente 10 mil pessoas que tem mais que essa quantia na conta bancária poderão retirar só 50% acima dos US$ 100 mil.

A FDIC devolverá todos os fundos só se a venda de ativos do IndyMac gerar recursos suficientes para ressarci-los.

O contribuinte americano também perderá, pois a intervenção da entidade custará ao erário entre US$ 4 milhões e US$ 8 bilhões, segundo cálculos da FDIC.

O IndyMac perdeu quase US$ 615 milhões em 2007 e mais de US$ 184 milhões no primeiro trimestre deste ano, principalmente por seus maus investimentos em hipotecas.

Desde janeiro era observado pela FDIC, que pretende devolver a entidade a mãos privadas em 90 dias. EFE cma/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG