O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quinta-feira, na visita ao Canadá, que a cláusula Buy American, Compre América, contida no plano de estímulo econômico não afetará o comércio entre os dois países.

Antes da viagem, em entrevista ao canal público canadense CBC, o presidente Barack Obama afirmou que os Estados Unidos vão respeitar suas obrigações internacionais na aplicação do gigantesco plano de retomada econômica de 787 bilhões de dólares que promulgou na terça-feira.

"Vamos respeitar nossas obrigações em virtude da OMC (Organização Mundial do Comércio) e do Acordo de livre comércio Norte-Americano (Alena), como sempre fizemos", declarou na entrevista.

Sobre a cláusula protecionista "Buy America" (Compre América) do plano de retomada e sobre as preocupações que ela gerou entre os canadenses, Obama acrescentou: "Acho que eles não devem se preocupar muito com isso".

"Meu governo está determinado a fazer de forma que, mesmo quando tomarmos medidas para reforçar a economia americana, o faremos de tal forma que com o tempo, elas reforçarão a capacidade de nossos parceiros comerciais, como o Canadá".

A cláusula, criticada pela comunidade internacional, foi atenuada na versão final do plano, que determina que ela deve ser aplicada de acordo com as leis e tratados comerciais existentes, ou seja, as regras da OMC.

Num primeiro momento, a Câmara dos representantes pretendia interditar qualquer compra de aço, ferro e produtos manufaturados estrangeiros para projetos financiados no quadro do plano de retomada econômica.

Barack Obama também evitou, hoje, durante conversa com o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, qualquer pressão sobre o Canadá, para que o país prolongue sua missão no Afeganistão além de 2011.

col/ksh/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.