SÃO PAULO - O Citigroup vai comprar as operações bancárias do Wachovia, instituição financeira regional dos Estados Unidos. A informação foi divulgada pelo Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC), agência do governo que provê seguro para os depósitos bancários.

Acordo Ortográfico O Citi vai ficar com ativos e obrigações, além de assumir títulos de dívida sênior e subordinada emitidos pelo Wachovia.

Segundo nota do órgão, o Citi assumirá perdas de até US$ 42 bilhões em uma carteira de empréstimos de US$ 312 bilhões. Prejuízos além desse montante serão arcados pelo FDIC. Em troca, a agência receberá US$ 12 bilhões em ações e garantias do Citigroup.

O comunicado do FDIC frisa que o "Wachovia não faliu, mas será adquirido pelo Citigroup" em uma operação de mercado com assistência do órgão. Também informa que a transação teve aval do Federal Reserve (Fed), Tesouro e presidência dos EUA, para "evitar efeitos adversos sérios nas condições econômicas e estabilidade financeira".

Só nesta manhã essa foi a terceira notícia de vulto relacionada a operações de resgate de instituições financeiras mergulhadas em dificuldades. Hoje os governos dos Países Baixos e de Luxemburgo socorreram com 11,2 bilhões de euros o banco belga Fortis.

Além disso, o governo da Grã-Bretanha assumiu o controle da financiadora imobiliária Bradford & Bingley e acertou a venda de suas operações de varejo para o espanhol Santander. Enquanto isso, o sistema financeiro mundial acompanha as negociações no Congresso americano sobre o pacote de auxílio de US$ 700 bilhões proposto pelo governo George W. Bush.

Leia mais sobre a crise financeira mundial

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.