Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cingapura aposta em emprego e crédito para lidar com crise

SÃO PAULO - O primeiro ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong, afirmou hoje em São Paulo que a principal estratégia do país para lidar com a crise internacional tem sido estimular a economia, com geração de emprego e manutenção do crédito. Na avaliação do dirigente, que visita o Brasil pela primeira vez, é preciso haver trabalho conjunto dos países em busca de soluções que evitem desdobramentos ainda piores para a economia global.

Valor Online |

Em almoço na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) nesta tarde, o primeiro-ministro de Cingapura afirmou que seu país sempre esteve mais conectado com outras economias asiáticas, mas que tem grande interesse atualmente em oportunidades de investimento em novos mercados no Oriente Médio e na América Latina, incluindo Brasil, com quem Cingapura tem uma corrente de comércio de apenas US$ 3 bilhões.

Ao brincar sobre o tamanho de Cingapura em relação ao Brasil, Loong disse esperar que "entre elefante e camundongo possa haver bom entendimento". Empresas de Cingapura já atuam no Brasil em áreas como exploração de petróleo, com dois estaleiros no Rio de Janeiro.

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, diz que companhias brasileiras com operações em Cingapura também estão satisfeitas naquele país, onde o juro básico para empréstimos a empresas é de 5% ao ano. Segundo ele, representantes da Vale, Petrobras e Embraer que participaram de uma reunião de negócios hoje com o primeiro-ministro só tinham elogios sobre o país.

Skaf diz que pretende levar uma missão comercial a Cingapura até abril do ano que vem, aproveitando uma visita ao Vietnã que já estava agendada. De acordo com ele, o governo do Estado de São Paulo vai participar de tal missão, que busca negócios e investimentos para o Brasil. "Cingapura tem um fundo soberano de US$ 100 bilhões para investimentos", lembra Skaf.

"Nós e Cingapura temos amplas possibilidades de negociação", disse Alberto Goldman, vice-governador de São Paulo, durante o almoço oferecido aos convidados. Loong pretendia encontra com o governador José Serra, no Palácio dos Bandeirantes, mas o encontro foi cancelado.

(Bianca Ribeiro | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG