Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Chrysler pára produção por 1 mês

A Chrysler informou ontem que, por causa da crise financeira internacional, suspenderá todas as operações de produção nas suas 30 fábricas da América do Norte durante pelo menos um mês, já a partir de amanhã. Em nota , a empresa também anunciou que suas concessionárias tiveram uma redução de 20% a 25% nas vendas nos Estados Unidos.

Agência Estado |

A montadora, que tem 22 fábricas só nos EUA, justificou a decisão pela "contínua falta de crédito para os compradores de veículos e ao dramático impacto que teve nas vendas globais do setor nos Estados Unidos". Segundo a Bloomberg, duas fábricas em Toledo, Ohio (EUA), ficarão fechadas até 26 de janeiro. As unidades de Windsor, Ontário (Canadá), e a de Detroit, Illinois (EUA), serão fechadas até 2 de fevereiro.

O objetivo da medida é "manter a produção e o estoque das concessionárias alinhadas com a demanda do mercado americano". A empresa ressaltou que as concessionárias das três marcas da companhia - Chrysler, Jeep e Dodge - informaram que "há muitos compradores que querem veículos, mas não podem fechar os acordos por falta de financiamento".

Normalmente, as montadoras de Detroit fecham suas instalações durante duas semanas no fim do ano, mas a Chrysler disse que pára suas atividades amanhã e seus empregados só retornam ao trabalho em 19 de janeiro.

Robert L. Nardelli, principal executivo da montadora, disse este mês no Congresso, quando as três gigantes tentavam obter a aprovação de um plano de ajuda pelos parlamentares, que a empresa precisava de um empréstimo imediato de US $ 7 bilhões para sobreviver até o próximo ano.

A Câmara chegou a aprovar um pacote de socorro no valor de US$ 14 bilhões para a montadoras, mas o Senado acabou derrubando a proposta. Desde então, os analistas e as montadoras esperam que o governo use parte dos US$ 700 bilhões destinados a socorrer o sistema financeiro para ajudar as fabricantes de veículos.

A General Motors, que também passa por dificuldades, tem dito que precisa de US$ 4 bilhões neste mês para se manter até o fim do ano e mais US $ 14 bilhões para o ano que vem. A empresa anunciou também cortes na produção no primeiro trimestre de 2009.

A Ford também informou ontem que estenderá o fechamento temporário de dez fábricas por uma semana a mais em janeiro de 2009. Um porta-voz da Ford disse que a paralisação tradicional de duas semanas será estendida por mais sete dias em todas as linhas de montagem nos EUA, exceto na de Claycomo, Montana, e na fábrica de picapes de Dearborn, Michigan. Essas duas fábricas, que produzem a picape pesada F-150, retornarão ao trabalho em 5 de janeiro.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG