SÃO PAULO - A Chrysler declarou nessa sexta-feira que pretende demitir 25% da sua força de trabalho na área administrativa até o fim do ano, o que significa cerca de 4,3 mil funcionários. Num memorando interno, a montadora atribuiu a medida à pressão econômica que indústria automotiva sofre atualmente.

Os cortes anunciados hoje se somam a outras 1,8 mil demissões anunciadas nesta semana. A Chrysler disse iria reduzir sua produção na planta de Toledo, em Ohio, e fechar outra em Newark, em Delaware.

A Chrysler está em negociações para uma fusão com a GM. Aparentemente, a crise internacional tem apressado as conversações para a formação de uma aliança. Atualmente, a montadora é controlada grupo de investimentos Cerberus.

(Adilson Fuzo | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.