EUA - O presidente da montadora americana Chrysler, Robert Nardelli, disse nesta terça-feira que sem uma ajuda imediata do governo federal, o grupo não terá um nível de liqüidez suficiente para prosseguir com suas funções normais.

"Se não houver um apoio financeiro imediato, a liquidez da Chrysler poderá cair abaixo do nível exigido para poder garantir nossas atividades normais", disse Nardelli à uma comissão do Senado.

Isto coloca em risco cerca de 56 mil empregos da Chrysler, 20 bilhões de dólares em cobertura médica a cargo do grupo e 35 bilhões de dólares pagos anualmente aos fornecedores.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.