Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Chinesa CACC fecha 1ª venda de aviões para empresa ocidental

SÃO PAULO - A fabricante chinesa de aviões Commercial Aircraft Corporation of China (CACC) recebeu ontem seu primeiro pedido de compra de aeronaves vindo de uma companhia ocidental. A empresa de leasing aeronáutico Gecas, do grupo General Electric (GE), anunciou a compra de 5 unidades do jato regional ARJ21-700, com opções para mais outros 20 aparelhos.

Valor Online |

Caso todos os 25 aviões sejam adquiridos, o negócio terá valor total de cerca de US$ 800 milhões.

A CACC foi formada pela união da AVIC I e da AVIC II, as duas indústrias de componentes aeronáuticos da China, com a intenção de desenvolver e construir os primeiros aviões comerciais do país. Até agora, a companhia afirma já ter vendido 206 unidades das aeronaves da família ARJ, incluindo o negócio com a Gecas que, incluindo as opções, é o maior até o momento.

O vôo inaugural do ARJ21-700 está marcado para o fim deste mês, com entrada em serviço esperada para o início do ano que vem. Segundo a Gecas, a CACC acredita que há mercado para 850 unidades desse aparelho em todo o mundo nos próximos 20 anos. Para a General Electric, que irá fornecer os motores para os aviões adquiridos por sua subsidiária financeira, esse volume representa uma oportunidade de receita de US$ 4 bilhões no fornecimento de motores a jato.

Além do anúncio da venda, o vice-ministro da Indústria e da Informação do país, Miao Wei, confirmou que o maior avião comercial do país, desenvolvido para competir com o A320 e 737, deve entrar no mercado entre 2016 e 2020.

Segundo ele, a preparação para o programa deve ser concluído no fim do ano que vem e a produção deve começar entre 2010 e 2015.

(José Sergio Osse | Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG