PEQUIM - A China deve ter um déficit comercial de mais de US$ 8 bilhões em março, disse a imprensa estatal chinesa nesta terça-feira, citando o premiê Wen Jiabao. Seria o primeiro déficit mensal da China desde abril de 2004, mas isso não deve configurar uma nova tendência para a maior nação exportadora do mundo.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237562682449&_c_=MiGComponente_C

De qualquer forma, muitos no mercado acreditam que Pequim quer vários meses consecutivos de crescimento da exportação antes de permitir que o iuan se aprecie, e um déficit em março poderia adiar ainda mais a alta da moeda chinesa.

"Para ser sincero, eu estava feliz quando eu tomei conhecimento da situação (do déficit esperado)", disse Wen a uma reunião de empresários estrangeiros em Pequim, de acordo com o jornal "China Daily".

"A China não está procurando superávit comercial, de forma alguma. Pelo contrário, nós fizemos tudo para expandir as importações para atingir um equilíbrio comercial", disse ele.

O superávit comercial da China diminuiu nos últimos quatro meses, pois as importações, impulsionadas pelo aumento da demanda doméstica, cresceram mais rápido que as exportações, que foram pressionadas pela lenta recuperação econômica global.

Leia mais sobre: China

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.